Segurança do trabalho... Não adianta reclamar! Tem que fazer a coisa acontecer!

Recebi no meu e-mail e como achei interessante, repasso na integra aos leitores do blog.  

Por quê? Porque os profissionais de segurança do trabalho são tidos como os chatos nas empresas? Por que a maioria das empresas não aplica sistemas de gestão de segurança e, só cumprem tabela porque é uma exigência legal? Por que é tão difícil tratar desse assunto que deveria estar naturalmente inserido nos processos administrativos, produtivos e de serviços das empresas? Afinal... Por que as pessoas trabalham despreocupadas e expostas aos riscos e perigos no desenvolvimento de suas atividades? Por que operários, lideranças, chefias, gestores e diretores fazem vista grossa, ou melhor, são negligentes no dia a dia?

Com certeza, como a maioria das respostas para essas perguntas são negativas, os índices de acidentes e doenças ocupacionais são tão altos no Brasil.

Sinceramente, imaginem se o uso do cinto de segurança nos automóveis não fosse obrigatório? Ou, se ingerir bebida alcoólica e dirigir fosse liberado? Acredito que hoje, até os que se opunham inicialmente, não aceitariam mais esses retrocessos... Não acham?

Com certeza, para vivermos em uma democracia e em plena harmonia dentre todas as divergências, nossas civilizações instituíram as Leis, ou seja: Regras para a coexistência entre pessoas, então, imaginemos se a ONU - Organização das Nações Unidas, através da OIT – Organização Internacional do Trabalho, “não existissem”... Com certeza, muito do que as civilizações contemporâneas / modernas, não teriam evoluído civilizadamente como o são hoje, obviamente temos muito que melhorar ainda...

Hoje em pleno século XXI, nos deparamos em diversas partes do mundo, com a escravidão de seres humanos, ou se não, com trabalhadores subjugados, remunerados apenas para as suas subsistências básicas e sem nenhuma perspectiva de melhoria de vida proporcionada pelos seus Governos e empresariado, tendo como exemplo a China, Índia, outros países asiáticos, africanos, na Europa Oriental, nas Américas e principalmente, no nosso querido Brasil, não se enganem, não se assustem... No Brasil, também existem casos confirmados de escravidão de seres humanos, inclusive já constatado nos grandes centros da região Sudeste... Que vergonha!

O prevencionista da segurança e medicina do trabalho: engenheiros de segurança e médicos do trabalho, enfermeiros do trabalho, técnicos de segurança do trabalho e técnicos/auxiliares de enfermagem do trabalho, são os profissionais determinados pelas Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego de nosso país (NR 4 ou 31), que devem atuar como os mantenedores dos preceitos legais e humanitários, são profissionais que devem ser tratados como consultores/ assessores internos de suas empresas, assim como os contadores, administradores, advogados e outros profissionais, são eles que alertam o empregador quando está irregular ou em não conformidade com as exigências legais.

Pergunto: Qual a empresa que esta cem por cento enquadrada nas NR, nas NBR - Normas Brasileiras, ANVISA, Órgãos Ambientais, junto do Corpo de Bombeiros, da Previdência Social (Receita Previdenciária), das Legislações Estaduais, Municipais, então... Esses profissionais devem ser vistos como auxiliadores nas dissoluções necessárias. 

O empresário muitas vezes é mal informado de seus compromissos legais e, quando menos imagina, é surpreendido pelo mercado e pelas autoridades governamentais, por diversas exigências que eram desconhecidas. Já passou o tempo do empresário ser esclarecido quanto aos seus compromissos com as questões de segurança e medicina do trabalho, porém, sempre me deparo com os que desconhecem o assunto, e pior, a grande maioria do empresariado desconhece principalmente as pequenas e médias empresas.

É necessário saberem que, o profissional prevencionista não está contra os processos produtivos, contra o empresariado, quanto ao mercado, mas sim, ele está a seu favor, afinal, caso não se enquadre nas exigências legais quanto à segurança e medicina do trabalho, correrá o sério risco de retaliações sindicais, mercadológicas, autuações, embargos, interdições, por fim, prejuízos e pior, perder o seu negócio, afinal... Quem quer sair no prejuízo?

Portanto, o empresariado deve ver no prevencionista, oportunidades que vê nos profissionais que cuidam de suas administrações, das questões jurídicas, fiscais, em fim, os prevencionistas não constroem coisas, mas, formam opiniões e orientam tanto o empregador quanto o empregado. É hora de dar um basta aos desvios de valores nesses assuntos, obviamente, a contratação de profissionais maduros, sensatos, idôneos e racionais será fundamental para o sucesso dos entendimentos.

Veja a minha dica: Quando doente, ao consultar um médico, a probabilidade de recuperação só acontecerá, SE VC. SEGUIR AS SUAS ORIENTAÇÕES... Não basta comprar os remédios, têm que tomá-los!
Abços a todos.

CARLOS DIAS
Engenheiro de segurança do trabalho.

Comentários

Postagens mais visitadas

O USO DO LEITE COMO DESINTOXICANTE NAS INDÚSTRIAS – DDS.

Fábula da xícara cheia – DDS de reflexão.

QUANTO CUSTA UM ACIDENTE? – DDS