Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

31 de março de 2012

TST - Precisamos de atitude urgente.

Companheiros prevencionistas, parafraseando Albert Einstein, digo a todos os técnicos o seguinte “Se quer viver uma vida feliz e próspera na sua profissão, amarre-se a uma meta, não às pessoas nem às coisas”, quero dizer com isso que o futuro da classe profissional dos técnicos em segurança, está amarrado a determinados grupos e não em nossas mãos como deveria estar.
Temos que urgentemente assumir a condução do nosso destino, não podemos permitir que oportunistas venham nos dizer o que fazer e como fazer com intuito visível de menosprezar financeiramente e profissionalmente, relegando a segundo plano justamente aqueles que trabalham para disseminar a prevenção

Reflitam bem, o sucesso para qualquer classe profissional, seja qual for, depende exclusivamente das partes interessadas e por esse motivo é de grande importância a sua participação, não fuja dessa, mostre as suas necessidades e expectativas profissionais.

Somos capazes de gerir nosso destino, mas para que isso aconteça, necessitamos de união de todos os Técnicos em Segurança imbuídos no mesmo ideal, ainda a tempo de reverter essa situação, buscando a união, o aprimoramento profissional e, ao que realmente almejamos para o nosso futuro enquanto técnico em segurança do trabalho.

Finalizando quero deixar um recado para classe, se não tomarmos uma atitude urgente em relação a nossa profissão, deixaremos passar entre nossas mãos a oportunidade de reverter essa situação e de desfrutar do sucesso da profissão.

“Somos o que pensamos e o que queremos ser,  não fique oculto, participe, você é ponto chave".


Marcio Santiago Vaitsman.

29 de março de 2012

Senador quer diminuir o índice de mortes no trabalho no Brasil.

Prezado Senador:
Enquanto os profissionais Técnicos em Segurança, integrantes dos SESMT, não forem verdadeiramente valorizados profissionalmente e financeiramente, o Brasil vai demorar muito para atingir suas metas na redução dos infortúnios laborais.
As empresas continuam a negligenciar a prevenção, não existe fiscalização adequada por parte do governo e aqueles que têm a missão de disseminar a prevenção recebem salários de miséria e, não possuem sequer um órgão para defesa de seus direitos profissional, como defender os diretos dos trabalhadores.
Senador, enquanto não for criado o Conselho Federal da Classe dos Técnicos em Segurança, “Primeiro para proteger e valorizar os técnicos” vamos conviver com esse flagelo que é o acidente do trabalho no Brasil.

"Vergonha Nacional".
Marcio Santiago Vaitsman

Em discurso nesta quarta-feira (28), o senador Jayme Campos (DEM-MT) anunciou a intenção de apresentar um projeto de lei com o objetivo de reduzir os acidentes de trabalho no Brasil.
A ideia é punir empresas que apresentem registro de acidentes fatais acima da média. Pela proposta, a empresa com mais de uma morte de empregado por ano fica impedida de participar de licitações públicas e de contratar financiamentos bancários.
Segundo Jayme Campos, o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial de mortes por acidente no trabalho. China, Estados Unidos e Rússia ocupam os primeiros lugares. O senador lamentou o fato de seu estado, o Mato Grosso, liderar o ranking no Brasil. Enquanto a média nacional é de 13 casos por 100 mil habitantes, a média do estado é de 44.
O senador informou que, de 2006 a 2009, foram registrados 551 óbitos no Mato Grosso, conforme dados do Ministério da Previdência Social. No mesmo período, o Brasil registrou quase 11 mil mortes. Os setores de transporte, agropecuária e construção civil são os que mais registram acidentes fatais.
Estamos vendo a consolidação do país como uma potência mundial, mas não conseguimos ver o ser humano que impulsiona essa grandeza - lamentou o senador.
Segundo Jayme Campos, especialista aponta a negligência do empregador como a principal causa das mortes, devido à falta de equipamentos de proteção individual e treinamento adequado. O senador disse que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) reforça a tese da negligência, indicando também as más condições de trabalho no Brasil.
Audiência pública
O senador lembrou que no dia 28 de abril é comemorado o Dia Mundial da Segurança e Saúde do Trabalho. Jayme Campos disse que, na sessão do dia 25 de abril da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), vai apresentar requerimento para realizar audiência pública com o objetivo de debater soluções para o problema dos acidentes de trabalho no Brasil.
Nossa nação deve crescer e se desenvolver com harmonia. Um país próspero é aquele que respeita a integridade física e moral de seus trabalhadores. Nenhum progresso vale o sacrifício da morte de homens de bem - concluiu.
Agência Senado.


28 de março de 2012

Governo admite que fator previdenciário não conseguiu adiar aposentadorias.

O governo admite que o fator previdenciário não cumpriu seu objetivo principal de postergar a aposentadoria dos trabalhadores do Regime Geral da Previdência Social e que essa base de cálculo reduz em mais de 30% o valor final do benefício.
“Temos observado que, em geral, as pessoas ao completarem os 35 (homens) ou 30 anos (mulheres) de contribuição preferem se aposentar, mesmo sabendo que vão ter um desconto que pode chegar a mais de 30% no valor do benefício.
Criada com o objetivo de equiparar a contribuição do segurado ao valor do benefício e, assim, desestimular aposentadorias precoces, a fórmula é baseada em quatro elementos: alíquota de contribuição, idade do trabalhador, tempo de contribuição à Previdência Social e expectativa de sobrevida do segurado.
Geralmente os trabalhadores preferem se aposentar antes do tempo e continuar na ativa para acumular o valor da aposentadoria e do salário. Também há casos de empregados na faixa dos 50 anos de idade que não conseguem recolocação no mercado de trabalho e acabam sendo empurrados para a aposentadoria precoce.
Representantes do setor produtivo, por sua vez, defendem a manutenção do fator previdenciário, argumentaram que o fim desse instrumento vai aumentar o déficit da Previdência e comprometer as aposentadorias futuras.
“A expectativa de vida aumentou, o tempo útil do indivíduo aumentou, então, é justo que o trabalhador também tenha um tempo maior de capacitação e contribuição”.  
O autor do requerimento para a realização da audiência se manifestou de forma veemente contra o fator previdenciário. “Isso é um roubo institucionalizado, estão roubando os trabalhadores em quase 40% de seus salários”.
“O Brasil é o único país em que o trabalhador, para ter o direito de se aposentar, tem de abrir mão de outro direito, que é o seu salário”.


Agência Câmara de Notícias.

27 de março de 2012

Portaria SIT nº 313/2012 - Aprovada a Norma Regulamentadora nº 35, que dispõe sobre o trabalho em altura.

Foi aprovada a Norma Regulamentadora (NR) nº 35, que dispõe sobre o trabalho em altura, cujas obrigações, em geral, entrarão em vigor 6 meses após a sua publicação, ocorrida hoje (27.03.2012).

A mencionada NR estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade.



Veja íntegra da Norma Regulamentadora no link:






Diário Oficial da União, nº 60. 




26 de março de 2012

Portaria SIT nº 312, de 23.03.2012 - Altera o item 16.7 da Norma Regulamentadora nº 16 - Atividades e Operações Perigosas, aprovada pela Portaria MTb nº 3.214, de 8 de junho de 1978.



A Secretária de Inspeção do Trabalho, no uso das atribuições conferidas pelo art. 14, incisos II e XIII do Decreto nº 5.063, de 3 de maio de 2004, em face do disposto nos arts. 155 e 200 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e do art. 2º da Portaria MTb nº 3.214, de 8 de junho de 1978,

Resolve:

Art. 1º Alterar o item 16.7 da Norma Regulamentadora nº 16 (NR-16), aprovada pela Portaria MTb nº 3.214, de 8 de junho de 1978, que passa a vigorar com a seguinte redação:

16.7 Para efeito desta Norma Regulamentadora considera-se líquido combustível todo aquele que possua ponto de fulgor maior que 60 ºC (sessenta graus Celsius) e menor ou igual a 93 ºC (noventa e três graus Celsius).

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Vera Lúcia Ribeiro de Albuquerque



D. O. U. nº 59 - Seção I - pág. 75 de 26.03.2012.





24 de março de 2012

CAMINHÃO MUNCK – DDS.

Procedimentos seguros para levantamento e movimentação de cargas com o caminhão Munck.
 
Vocês devem saber que o Munck é um guindaste comandado hidraulicamente e instalado sobre o chassi de um caminhão, com grande utilização na movimentação, remoção, levantamento e transporte de cargas relativamente leve.

Somente pessoas habilitadas com Carteira Nacional de Habilitação, categorias C, D ou E, podem conduzir o caminhão Munck.

Antes do inicio da atividade, verifique se as pessoas são treinadas e autorizadas para operar o caminhão Munck.

A utilização do caminhão Munck é limitada de acordo com sua capacidade e com o tipo de carga que será movimentada, cabe ao Técnico em Segurança, supervisor ou operador do Munck analisarem a viabilidade de sua utilização antes de iniciar o serviço.

A área do piso onde serão apoiadas as sapatas deve ser plana e firme e só colocar calços resistentes sob as sapatas se houver necessidade de pequena correção do nível do caminhão, verificar se os freios estão acionados e com as rodas calçadas.

A área coberta pelo raio de ação da lança e da carga deve ser isolada, sinalizada com cones e livre de quaisquer obstáculos e não permitir o trânsito de pessoas no local.

Para casos de operação perto de redes elétricas ou equipamentos energizados e, ou valas e escavações são necessárias redobrar a atenção de todos envolvidos na operação.

Antes de se iniciar qualquer operação de carga ou descarga em valas e escavações, o pessoal que estiver trabalhando naqueles locais deve ser removido, e só deve retornar ao término da operação.

Utilize somente eslingas de cabo de aço, cintas ou outro dispositivo específico para içamento da carga. Nunca utilize cordas para o içamento de cargas, elas deverão ser utilizadas apenas para posicionar/direcionar a carga.

É obrigatória a existência da trava de segurança no gancho.

Nunca permanecer sobre a carroçaria na área de alcance da lança enquanto a mesma estiver em movimento ou permaneça sob a cargas suspensas.

O operador nunca deve abandonar o Munck com a carga suspensa.

Não arrastar cargas, porque o guincho do Munck não foi projetado para tracionar, e sim para efetuar levantamento vertical.

Nunca movimentar o veículo com a carga suspensa, pois a estabilidade do mesmo ficará seriamente reduzida, gerando risco de queda da carga sobre pessoas ou equipamentos.

A movimentação do caminhão Munck de uma área para outra deve ser feita com as patolas e lanças recolhidas e posicionadas em seu berço de apoio.

O operador deverá posicionar-se em local mais afastado possível da área de atuação da lança, preservando sua segurança e de frente para a movimentação do equipamento.

O caminhão Munck deverá ser equipado com comandos duplos em ambos os lados do veículo e, com uma tabela de carga impressa fixada no caminhão.
Inspeções periódicas devem ser realizadas nos ganchos, a fim de detectar possíveis deformidades.

Inspecionar o estado dos cabos, cintas ou quaisquer outros dispositivos que serão usados antes do inicio do içamento da carga.

É nos momentos de decisão que você mostra a sua capacidade profissional.

23 de março de 2012

Você sabe como coletar e descartar lâmpadas fluorescentes - DDS.

As lâmpadas fluorescentes quando quebras são perigosas, assim sendo, devemos seguir algumas instruções que repasso para vocês visando evitar os graves danos causados pelo mercúrio à sua saúde e principalmente ao meio ambiente.
Em caso de quebra acidental todo mundo vai ter que sair do ambiente pelo menos por 30 minutos, devido aos vapores tóxicos do mercúrio que se espalham pelo ambiente.

Além disso, o ministério da saúde alertou para não usar aspirador de pó para coletar os restos da lâmpada quebrada, pois a contaminação por mercúrio se espalhará em outras áreas da casa quanto você estiver usando o aspirador de pó novamente.



Saiba como descartar os cacos das lâmpadas quebradas:




Se tiver em casa uma máscara descartável daquelas usadas para proteção do vírus da Gripe H1N1, use-a evitando inalar o vapor do Mercúrio.

Use uma luva de borracha para pegar cuidadosamente os cacos da lâmpada quebrada, inclusive o que sobrou dela.


Coloque os cacos do vidro sobras da lâmpada sobre um pano/flanela e ou embrulhe num jornal, coloque dentro de um saco plástico. Amarre bem a boca do saco plástico, e leve para descarte.

Você pode fazer o descarte em saco plástico com os resíduos da lâmpada em local adequado para descarte de baterias de celular ou pilhas comuns, algumas lojas já depõem de desse serviço.

Lembre se que o  mercúrio é mais venenoso que o chumbo ou arsênio!!

22 de março de 2012

MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E ORGANIZAÇÃO – DDS.

A preocupação de tratar corretamente os resíduos traz benefícios para o meio ambiente e também para a segurança dos locais de trabalho.

A higiene e a limpeza mantêm o ambiente de trabalho livre de riscos, contribuindo para a saúde e a segurança de todos.

Manter limpo o local de trabalho, organizar e destinar os resíduos após a realização de uma atividade evitando o acúmulo de lixo e entulhos que possam causar acidente são cuidados importantes.

Os locais de circulação e de acesso a equipamentos, postos de trabalho e recursos de combate a emergências (extintores de incêndio, escadas e saídas de emergência) não devem servir de depósito de resíduos nem conter sobras de serviços realizados.

As atitudes que preservam a natureza são as mesmas que ajudam a prevenir acidentes:

Consciência dos riscos, comportamentos seguros, cuidados consigo mesmo e com os colegas e preocupação com as conseqüências ao meio ambiente.

Pense nisso!

21 de março de 2012

T. S. T. Também deve ser notificado no caso de ações regressivas em virtude de acidentes de trabalho.


O presidente do TST e do CSJT, ministro João Oreste Dalazen, reforçou, por meio de ofício aos presidentes dos TRTs dia 7 de março, a recomendação de que os corregedores dos TRTs mobilizem os juízes para que, toda vez que houver decisão condenatória de empresa em processos envolvendo acidente de trabalho visando o ajuizamento de ação civil regressiva, cujo objetivo é levar os responsáveis pelos acidentes a ressarcir os cofres públicos das despesas, a Procuradoria Geral Federal seja comunicada com cópia para o TST.
 

O endereço eletrônico para envio da cópia para o Tribunal é o regressivas@tst.jus.br, e a comunicação visa dar ao TST a possibilidade de acompanhar os impactos concretos no ajuizamento de ações regressivas, ajudando a computar o número de ações dessa natureza.

 
Como ressaltou o presidente do TST à época da assinatura da recomendação para tal procedimento, em outubro de 2011, o objetivo é não só de garantir o retorno dos valores pagos pelo INSS à União, mas também de servir como “instrumento pedagógico e de prevenção de novos infortúnios”, como afirmou o ministro Dalazen, dentro do espírito do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho.



Correio da Justiça do Trabalho.

20 de março de 2012

Banco de emprego.

Técnico em Segurança do Trabalho.
Empresa de Itaguaí / Mangaratiba contrata:
Experiência: Mínimo 1 ano; Bons conhecimentos nas atividades pertinentes à função.
Salário base: R$ 1.500,00; Alimentação no local; Plano de saúde Unimed.
Local de trabalho: Itaguaí / Mangaratiba (Preferencialmente candidatos que morem próximo).
Expediente de Segunda a sexta-feira de 08h00h. às 18:00h.
Enviar currículo para:
ana.luiza@laboreconsultoria.com.br  Informar o cargo pretendido.
Boa Sorte.

19 de março de 2012

Alerta para os Companheiros Técnicos em Segurança.


Após investigações, a Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu o inquérito de um acidente ocorrido na madrugada de 16 de março de 2011, que matou dois funcionários na explosão de uma subestação de energia elétrica que abastece a Ponte Rio - Niterói.


Os dois trabalhadores mortos não tinham o curso de espaço confinado, NR-33, mas mesmo assim foram autorizados a trabalhar no local do acidente!


No relatório, assinado pelo delegado, cinco funcionários da empresa Álamo Engenharia, que presta serviços para a Ponte S.A., foram indiciados por homicídio doloso. São eles o engenheiro, o supervisor de manutenção elétrica e o técnico em segurança do trabalho.



No relatório foram apontadas diversas falhas e justifica o entendimento de os indiciados serem autuados no duplo homicídio doloso.

No acidente morreram 02 eletricistas, ambos de 53 anos e um terceiro eletricista, sofreu graves queimaduras, mas sobreviveu.


“Existe o dolo eventual quando o agente não quer diretamente a realização do crime, mas a aceita como possível ou até provável, assumindo o risco da produção do resultado, consentindo no mesmo”, O texto do inquérito segue dizendo que os cinco funcionários responsabilizados “tinham conhecimento de que as vítimas não tinham qualificação técnica para trabalhar em local confinado”.

Desta forma, “foram diretamente responsáveis pela morte dos dois eletricistas, bem como pelas lesões corporais provocadas no outro que sobreviveu”.

Além de não estarem usando roupas apropriadas, à época do acidente, as vítimas também não tinham treinamento apropriado para a função que exerciam.

A subestação ficava num local confinado e os três que trabalhavam lá dentro não tinham o curso de NR-33 - Norma regulamentar do Ministério do Trabalho que exige uma especificação técnica para exercer aquele tipo de trabalho.


Na conclusão do inquérito, a Concessionária Ponte S.A., que administra a Ponte Rio - Niterói acabou se livrando de qualquer acusação porque o contrato de prestação de serviços firmado com empresa, indica que “todo e qualquer acidente de trabalho que venha a ocorrer, agravado ou não pelo não uso ou uso inadequado dos equipamentos de segurança antes mencionados, será de total e exclusiva responsabilidade da contratada”.

Por essas e outras que devemos ser rígidos na cobrança destes cursos para os colaboradores que irão realizar serviços desta natureza dentro da empresa, NR-10 “Trabalhos com eletricidade e NR 33, para “Trabalhos em Espaço Confinado, monitoração constante com aparelho multigás  com o seu respectivo certificado de calibração, para que não venha acontecer isso com você.


Inclusive nos antecipar quanto à futura NR 36 - Trabalho em Altura, deverá estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo planejamento, organização, execução e definição da responsabilidade para todos os setores.


Não deixe isso acontecer com você, não deixe isso acontecer na sua empresa.




17 de março de 2012

Quer mudar o futuro da sua profissão? “Comece agir agora”

Você tem que encontrar o que você gosta de fazer. É isso é verdade tanto para a sua vida profissional, pessoal e familiar.

Seu trabalho ocupa grande parte da sua vida, e a única maneira de estar verdadeiramente satisfeito é fazendo aquilo que você acredita.

Ao acessar esse blog, você encontra todos os dias uma novidade de interesse da classe prevencionista, você não pode ficar de fora dessa, seja mais um seguidor e compartilhe-o com seus companheiros.

Basta clicar no botão “Participar desse site” e pronto, coloque seu nome e a cidade da qual você acessa.

A valorização da profissão depende exclusivamente da sua atitude.  

'“Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso, e trabalhar em conjunto é a vitória”.


Reflita sobre isso e Compartilhe.
Marcio Santiago Vaitsman






O QUE É UM ACIDENTE? – DDS.

É um acontecimento indesejável tanto para a empresa como para o colaborador. Um acidente de trabalho pode trazer uma série de transtornos para o acidentado e muito sofrimento para seus familiares.

Normalmente as conseqüências do acidente afetam:

O colaborador e seus familiares;
O colaborador acidentado poderá morrer, na maioria das vezes deixando sua família desamparada, o que trará mudanças radicais na vida de seus familiares. Pode ficar mutilado, sentir dores, etc... Conseqüentemente sua família sofrerá também.

O empregador:
Perde certa mão-de-obra que em muitos casos é de difícil substituição;

Perde tempo com a possível paralisação de tarefas ou máquinas;

Terá comprometimento com o ritmo de produção;

Receberá imagem negativa junto à sociedade e aos órgãos Governamentais.

Lembre-se: o acidente é comprovadamente um péssimo negócio para o colaborador, para sua família e também para a empresa, portanto, devemos evitá-los.

Procedimentos eficientes para evitar acidentes:

Seguir as normas de segurança existente, usar EPI´S adequados, quando necessário, conscientizar que “eu sou o principal responsável por minha integridade física”, se auto-policiar com o objetivo de não praticar atos inseguros e procurar sempre sanar, o mais rápido possível, condições inseguras que possam existir em sua área de trabalho.

Pense nisso!

16 de março de 2012

Acidentes de trabalho matam quatro mil por ano no país, alerta sindicalista.

Quase quatro mil pessoas morrem no Brasil por ano em acidentes de trabalho, e a maior parte das vítimas são jovens entre 25 e 29 anos.

O alerta é do coordenador nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), que participou de audiência pública da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, na manhã da quinta-feira (15), para tratar da segurança dos trabalhadores brasileiros.

Segundo ele, a classe trabalhadora no país ainda é ameaçada pela flexibilização da legislação trabalhista, pelo desrespeito às leis e pela falta de estrutura do Ministério do Trabalho, que não fiscaliza as empresas como deveria.

 

O resultado deste quadro é que os acidentes laborais custam R$ 32 bilhões por ano aos cofres públicos.
A prevenção ainda é a forma mais importante para se evitar prejuízos e incapacitação, mas o governo não tem investido mais em grandes campanhas nacionais de conscientização – lamentou.

José Augusto da Silva Filho aproveitou para advertir os sindicatos sobre a importância de se investir em cursos de capacitação e formação para seus quadros.

Além disso, ele defendeu a criação de departamentos especializados, a elaboração de estudos e pesquisas e a contratação de consultorias. Não basta ficarmos só reclamando dos patrões. Temos que fazer a nossa parte também.

Sem gente qualificada, como vamos nos sentar à mesa para negociar? Existem assessores jurídicos e contábeis para todo lado; por que os sindicatos não contratam assessores em segurança e em saúde no trabalho? – indagou.  

Dois mil acidentes por dia
A audiência pública foi presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS), que levou aos convidados mais números da área. Conforme dados do Anuário Estatístico de Acidentes de Trabalho do Ministério da Previdência Social apresentados pelo senador, em 2010, ocorreram 701 mil acidentes de trabalho no Brasil, uma média de quase dois mil por dia. Em 2009, foram 733 mil; e em 2008, 755 mil.

As estatísticas, no entanto, são subestimadas, alerta o representante da Nova Central Sindical (NCS), Luiz Antônio Festino. Ele explicou que muitos casos não chegam ao conhecimento dos ministérios do Trabalho, da Saúde e da Previdência Social; e, além disso, os dados oficiais não incluem os servidores públicos, os militares e os trabalhadores que estão na informalidade


Agência Senado.


Nota - Modestamente, esse blog a anos vem aclamando as autoridades brasileiras para que os Sindicatos e  o INSS contrate para seus quadros Técnicos em Segurança do Trabalho para atuarem na fiscalização junto as empresas.

 
 "Será que vão escutar a voz da experiência".

15 de março de 2012

As sete maravilhas do mundo – Reflexão.

Um grupo de estudantes de geografia estudou as sete
maravilhas do mundo.



No final da aula, aos estudantes foi pedido para fazerem  uma lista do que  eles pensavam que fossem consideradas as sete  maravilhas atuais do mundo.


Embora houvesse algum desacordo começaram os votos:


Pirâmides do Egito; Taj Mahal; Grand Canyon; Canal De Panamá; Empyre States building; Basílica do St. Peter; A Grande Muralha da China.


Ao recolher os votos, o professor notou uma estudante  muito quieta.


A menina, não tinha virado sua folha ainda.

O professor então perguntou à menina se tinha problemas com sua lista.


A menina quieta respondeu: "sim, um pouco, eu não consigo fazer a lista, porque são muitos."


O professor disse: "Bem, diga-nos que o que você tem, e talvez nós possamos ajudá-la.”


A menina hesitou, então leu, "Eu penso que as sete  maravilhas do mundo sejam:



1. Tocar;
2. Sentir sabor;
3. Ver; 
4. Ouvir;
5. Sentir; 
6. Rir;
7. Amar.


A sala então ficou completamente em silêncio.



É fácil para nós, olhar as façanhas do homem. Nós negligenciamos tudo o que Deus fez para nós.


Que você possa se lembrar hoje, daquelas coisas que  são verdadeiramente maravilhosas.


"Faça tudo de bom que você puder para todas as pessoas que você puder,  quando você puder."


E de preferência ainda hoje.