Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

29 de junho de 2012

Projeto de Lei: Câmara aprova regulamentação para cooperativas de trabalho.


A Câmara aprovou em votação simbólica, proposta que define normas para a organização e o funcionamento das cooperativas de trabalho no País. 

O texto aprovado cria o Programa Nacional de Fomento às Cooperativas de Trabalho (Pronacoop) e garante ao profissional cooperado direito aos repousos semanal e anual remunerado, ao seguro de acidente de trabalho, além de assegurar uma jornada máxima de oito horas diárias e 44 semanais e o pagamento de horas extras.

As novas regras pretendem impedir fraudes, como a criação de cooperativas para intermediar mão de obra terceirizada. Essa prática é utilizada para fazer contratações sem carteira assinada, o que deixa os profissionais sem direitos trabalhistas.

Segundo o texto, as cooperativas de trabalho são constituídas por pelo menos sete sócios e devem garantir aos seus integrantes direitos como retiradas não inferiores ao piso da categoria profissional ou ao salário mínimo, no caso de não haver piso, calculadas proporcionalmente às horas trabalhadas.


A proposta também estabelece que as cooperativas de trabalho deverão atender aos dispositivos da Política Nacional de Cooperativismo (Lei 5.764/71).

A política acolhe emendas do Senado à proposta aprovada pela Câmara em 2008, em substituição ao Projeto de Lei 4622/04, do ex-deputado Pompeo de Mattos, e outros apensados.

Entre outras medidas, os senadores excluíram do âmbito dessa regulamentação as cooperativas de assistência à saúde regidas pela legislação de saúde suplementar e as de médicos que pagam honorários por procedimento. 


Já as cooperativas operadoras de planos privados de assistência à saúde, que segundo a proposta aprovada pela Câmara também ficariam fora da regulamentação, não são mais excluídas desse enquadramento.

Agência Câmara de Notícias.


Não é chegada a hora dos técnicos pensarem na fundação de uma Cooperativa de Trabalho dos Técnicos em Segurança do Brasil – CTTSB.



“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos”.

28 de junho de 2012

Vencer o Próximo Round – DDS.


“A Era moderna do boxe completa 105 anos e, John Lawrence Sullivan e James J. Corbett disputavam pela primeira vez uma luta de boxe válida pela categoria dos pesos pesados, utilizando luvas de cinco onças.

Com a criação das novas regras - o máximo estabelecido era de 25 roundes  e a obrigatoriedade da utilização de luvas, os promotores da época escolheram o campeão John L. Sullivan para enfrentar James J.  Corbett. A luta foi realizada no Pelican Athletic Club, em New  Orleans, Louisiana, Estados Unidos.

Após 21 roundes, Corbett  combinou um jab de esquerda com um direto de direita. “Sullivan caiu e ouviu a contagem do juiz John Duffy.” (Estado de S. Paulo-07/09/97).

Quando as coisas não iam bem para Corbett, ele usava um lema que ele mesmo criou: "Lute mais um round".

Muitas vezes lamentamos e reclamamos ser a nossa vida apenas de lutas.

Mal nos livramos de uma e eis que outra se nos apresenta. O que fazer então?

Se levarmos em conta a quantidade de batalhas em nosso caminho, não teremos forças para enfrentá-las, mas se enchermos nosso coração de fé, olharmos para cima e segurarmos nas mãos de Jesus, então encararão cada batalha como se fosse a última, confiando que próximo estamos da vitória final.

Os que duvidam e desistem jamais chegarão a lugar nenhum.

A vitória será sempre dos que crêem e seguem em frente.


Reflita sobre isso e lute sempre pelos seus ideais.



“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos”.

27 de junho de 2012

Banco de empregos.


1 - Técnico em Segurança do Trabalho.

Com 2 anos de experiência na função para Realizar diariamente inspeções de campo, visando verificação de atos e condições inseguras para os trabalhadores; Realizar diálogo diário com os funcionários de forma a possibilitar uma maior compreensão nos aspectos de segurança; Apoiar tecnicamente a CIPA; Atualizar-se quanto aos produtos de segurança desenvolvidos no mercado, objetivando estarmos sempre utilizando os melhores produtos do mercado; Treinar periodicamente todos os funcionários sobre as formas corretas de trabalho com segurança; Coordenar manter todas as documentações legais referentes à área de Segurança, tais como CIPA, PPRA, PCMSO, mapeamento de risco, etc. Responsável pelo controle de sinalização de segurança; Responsável pelo controle e compra de todos os equipamentos de segurança;   Disponibilidade para início imediato.     Enviar currículo no corpo do E-mail com pretensão para: recrutamento.vagas2011@yahoo.com.br

2 - Técnico em Segurança do Trabalho.

Roche, Indústria Farmacêutica Multinacional, seleciona: Técnico em Segurança do Trabalho Sr. para atuação em Jacarepaguá RJ.
Participar da elaboração de projetos relativos à segurança do trabalho, higiene industrial e meio ambiente; Elaborar e ministrar treinamentos inerentes à segurança do trabalho e meio ambiente; Realizar inspeções prévias nos diversos setores, através da avaliação e análise das condições de segurança e meio ambiente, com o objetivo de assegurar que a área atenda a legislação específica e as metas estabelecidas pela empresa; Realizar investigação de incidentes e acidentes do trabalho ou ambientais, visando as causas e propondo medidas para mitigar ou eliminar as mesmas;  Monitorar os riscos físicos e químicos, através de avaliações e análises de higiene industrial, visando assegurar que os ambientes de trabalho atendam as exigências da legislação vigente e dos procedimentos internos; Elaborar procedimentos e instruções de trabalho inerente à segurança do trabalho e meio ambiente; Curso de Combate a Incêndio, Primeiros Socorros e Meio Ambiente; Inglês intermediário. Os profissionais interessados poderão encaminhar currículos com urgência para: 
kilze.araujo@contractors.roche.com mencionando no assunto o cargo desejado.

3 - Técnico em Segurança do Trabalho.
Rede de postos Forza contrata atuar no Controle de PPRA e PCMSO; Exames médico ocupacionais; Controles de EPIS; Fiscalizações; Documentações; Consultoria sobre as NR´s do Ministério do Trabalho; Entre outras. Atuar com suporte nas 34 unidades da Rede. Interessados enviar currículo com pretensão salarial para christiane.fuchs@forza.com.br

4 - Técnico em Segurança do Trabalho.
Empresa de soluções em alimentação contrata com experiência na função e residir em Itaborai ou São Gonçalo.
A empresa oferece salário R$2.000 + benefícios (plano de saúde e odontológico, seguro de vida, ticket alimentação, vale transporte e refeição no local).
viviane.gomes@spicegourmet.com.br

4 - Técnico em Segurança do Trabalho.
Empresa de grande porte contrata cursando ensino superior, será considerado como diferencial experiência em empresas varejistas de alimentação. Cuidar da gestão de toda documentação do grupo (PPRA, PCMSO, PPP, LTCAT); Mapear condições inseguras; Acompanhamento de funcionários afastados.
Salário entre R$2.500,00 e R$3.000,00 + Pacote de benefícios (VT + VR + Plano de saúde + Plano odontológico + Seguro de Vida + PLR).
Currículo no corpo do email robson.lourenco@grupoumbria.com.br 


“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos”.

26 de junho de 2012

Somos ou não somos desunidos?


Interessante, já tive a oportunidade de participar de vários movimentos da classe e sei como é muito complicado conseguir unanimidade dos interesses, sabemos que poucos profissionais se diferem na defesa da causa comum sem maiores interesse, podemos relacionar os que realmente abraçam a causa da classe dos Técnicos em Segurança, diga-se de passagem, “Nossa causa”.

Mas, o que não consigo entender é que a maioria não está bem empregada e que se essa situação permanecer vão continuar dessa forma, ganhando mal e subjulgados a planos inferiores dentro da empresa.

Acorda pessoal!

Existem aqueles técnicos que nada fazem, e ainda se acham no direto de se, indignar com as pessoas que lutam diurnamente para colocar a profissão onde já deveria estar, sei que existe a tendência de cada um procurar resolver primeiros seus próprios problemas.

Tudo isso não me surpreende, o que mais me surpreende é falta de expectativa da classe e quando escuto dizer que "alguém" que faça alguma coisa e a reclamação de que "ninguém" faz nada.

Na verdade, quem tem que fazer alguma coisa é aquela pessoa que você vê no espelho. Se cada um de nós, em vez de reclamar que "alguém" precisa fazer alguma coisa, começar a fazer alguma coisa, lucramos todos.

A pergunta que devemos fazer a nós próprios, todos os dias, antes de deitar: O que eu fiz pela minha profissão hoje?


Pode me chamar de “Alguém”.

Marcio Santiago Vaitsman



“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos”.

25 de junho de 2012

Carta a Presidente do Brasil.

Os Técnicos em Segurança do Trabalho a exemplo de outras profissões, também necessitam urgente de um Conselho de Classe, eu procuro fazer minha parte e, você também deve fazer a sua cobrando das autoridades a aprovação do Projeto de Lei que cria o Conselho Federal dos Técnicos em Segurança do trabalho.




Rio de Janeiro, RJ, 26 de Junho de 2012.

À
Exma. Senhora Dilma Vana Rossef
Presidente da República Federativa do Brasil.

Vimos à presença de Vossa Excelência, primeiramente para cumprimentá-la pelo brilhante trabalho a frente do executivo numa verdadeira demonstração da preferência popular e principalmente para solicitar e apelar para a sua sensibilidade e compromisso com o bem estar dos trabalhadores, e de nossos meios produtivos, pois o acidente do trabalho em nossos Pais ainda tem índices alarmantes, que proporcionam as empresas brasileiras milhões em prejuízos e causam grandes perdas de nossos trabalhadores.

Considerando que a profissão de Técnico em Segurança do Trabalho é regulamentada pela Lei nº 7.410/85, com atribuições definidas pela Portaria nº 3.275/89 e inserida nas obrigações e ações estabelecidas pelas Normas Regulamentadoras de Saúde e Segurança do Trabalho – Portaria nº 3.214/78.

Presidente Dilma, conforme o exposto, está correspondência tem a finalidade de contarmos com o seu apoio no nosso objetivo maior, que é a criação do nosso Conselho, o Conselho Federal dos Técnicos em Segurança do Trabalho, que além de almejar o objetivo de uma categoria, dará cumprimento ao aprovado na Norma Regulamentadora nº 27 onde diz em seu item 27.1: "O Exercício da Profissão em Técnico em Segurança do Trabalho depende de prévio registro no Ministério do Trabalho, efetuado pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho até que seja instalado o respectivo Conselho Profissional”, que com certeza irá de encontro e apoio à defesa da integridade física dos trabalhadores com maior controle de nossa atividade profissional.

Informamos a Exma. Presidente que o Projeto de Lei de criação dos Conselhos Federal e Regionais de Técnicos em Segurança do Trabalho, Processo nº 46010.001767/ 2003-99 e Exposição de Motivos nº 16 de 08.12.2004, foi enviado pelo Ministério do Trabalho e Emprego para a Casa Civil da Presidência da República.

Na certeza de seu empenho pessoal e profissional na resolução aos anseios de toda uma classe de profissionais brasileiros, desde já agradecemos.

Atenciosamente,
Marcio Santiago Vaitsman 
Técnico em Segurança do Trabalho
Rio de Janeiro/RJ.


“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos”.

23 de junho de 2012

O ovo de Colombo – DDS.


Conta-se que em uma ocasião, Cristóvão Colombo foi convidado para um banquete onde lhe haviam designado como é natural, um posto de honra.

Um dos convidados era um cortesão que estava muito enciumado com o grande descobridor. E quando teve a oportunidade dirigiu-se a ele e lhe perguntou de uma forma um tanto impertinente:

 
Se você não tivesse descoberto a América, por acaso não existem outros homens na Espanha que poderiam fazê-lo?


Colombo preferiu não responder diretamente àquele homem e lhe propôs uma prova antológica:

"Levantou-se, pegou um ovo de galinha fresco e convidou a todos os presentes que tentassem colocá-lo de forma que se mantivesse em pé sobre um dos seus extremos".

A ocorrência teve bastante aceitação. Quase todos os presentes entraram logo naquele jogo e tentaram um após o outro, uns com mais, outros com menos convicção, ante o olhar atento dos demais. Mas passava o tempo e ninguém conseguia descobrir a maneira de conseguir que aquele ovo danado mantivesse o equilíbrio.

Finalmente Colombo se pôs em pé, com ar solene, se aproximou, pegou o ovo e o bateu levemente contra a superfície da mesa até que quebrou um pouco da casca de uma das pontas e graças a este pequeno achatamento o ovo se manteve perfeitamente na posição vertical.

Claro que desta maneira qualquer um pode fazê-lo! - objetou um pouco alterado, o cortesão.

Sim qualquer um. Mas "qualquer um" ao que se lhe tivesse ocorrido fazê-lo.

E acrescentou: - "Uma vez eu mostrei o caminho ao Novo Mundo", "qualquer um" poderá segui-lo.

Mas "alguém" teve antes que ter a idéia.

E "alguém" teve depois, que decidir-se a colocá-la em prática.

Esta velha e conhecida anedota tem ultrapassado os séculos e levado a formar a expressão de "O Ovo de Colombo", para referir-se a soluções aparentemente muito naturais, sim, mas ... "alguém teria que ter pensado nelas, e alguém depois teve que decidir-se a fazê-las".

Muitas transformações importantes nas pessoas, nas empresas, nos clientes, no mundo do pensamento, ou na sociedade em geral, tem sua origem em descobrimentos naturais, simples, aos que "alguém" tem sabido tirar proveito.

Alguém que soube tirar partido do óbvio, a estas verdades, às que todos teremos acesso.

E lembrem apenas PESSOAS como vocês e nós, podemos fazer estas coisas simples, naturais.



“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos”.

22 de junho de 2012

Palestra sobre a lei do motorista profissional.

O auditório da Ejud-2, no 10º andar do Fórum Ruy Barbosa, ficou repleto na noite dessa quarta-feira (20). Magistrados e servidores foram ao local assistir a palestra do juiz Marcos Scalercio, do TRT-2. Durante a exposição, o magistrado falou sobre os aspectos polêmicos da Lei 12.619/12, que trata do motorista profissional.

O regramento atraiu a atenção de quem trabalha no Tribunal, por ser uma novidade jurídica e também por ter grande aplicabilidade prática. Para se ter uma ideia, a norma altera não só a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), como também o Código de Trânsito Brasileiro.

Além disso, o alcance da lei foi destacado pelo palestrante. “O debate sobre o tema é importante para toda a sociedade, pois tem um alcance geral. Alcança toda a sociedade devido à importância da profissão”, disse.

Regulamentação do Serviço do Motorista Profissional na CLT

19 de junho de 2012

Começou a Rio + 20 – Sejam todos bem-vindos.


Bem vindos à cidade ao Rio de Janeiro todos os representantes dos governos que detém o poder e a responsabilidade de mudar o destino do nosso planeta.


Está com vocês o poder de gerar uma visão multicultural das bases éticas e políticas capazes de transformar as políticas ambientais do mundo.


É necessário que aqueles que participam desse encontro, não fiquem apenas na posição de mero espectador impotente diante de tão importante debate para a sociedade mundial.



Marcio Santiago Vaitsman



“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também”.

18 de junho de 2012

GRÁVIDA NA EXPERIÊNCIA.


Imaginemos uma trabalhadora recém- contratada de uma grande loja. Ainda durante o seu contrato de experiência (que tem duração máxima de 90 dias) essa trabalhadora fica grávida. E agora? Quais são seus direitos? Pois bem, conforme nossa legislação, é vedada a dispensa sem justa causa da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até 5 meses após o parto. Esse lapso de tempo consiste na chamada estabilidade provisória da gestante, um direito inquestionável das empregadas contratadas por tempo indeterminado.

No entanto, essa regra não se aplica às trabalhadoras que engravidaram na vigência do contrato de experiência. Esse tipo de contrato expira pelo simples decurso de tempo, não podendo ser prorrogado em virtude da gestação. Pelo menos esse tem sido o entendimento majoritário dos magistrados trabalhistas.

Porém, não confundamos estabilidade provisória com salário maternidade. Mesmo nos casos em que a gestação for iniciada durante o contrato de experiência (o que não dará direito à estabilidade provisória), o salário-maternidade poderá ser requerido à Previdência Social.

Estabelecidas as condições administrativas, a trabalhadora receberá então o salário- maternidade (normalmente, com o mesmo valor mensal de sua remuneração integral) durante 120 dias, com início no período entre 28 dias antes do parto e a data de ocorrência deste.


Jornal O Segurito.


 “Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também”.


17 de junho de 2012

Cinta Lombar – DDS.

É só você realizar um treinamento de carregamento de cargas e começam as perguntas: Por que a empresa não fornece cinta lombar?
Posso dar uma resposta fácil: Como cinta Ergonômica não é EPI o SESMT não tem obrigatoriedade de realizar o seu fornecimento.
Mas para não dizerem que estou utilizando uma resposta muito evasiva, farei alguns comentários sobre o assunto.
Se você fizer uma busca sobre o uso de cintas ergonômicas na internet, encontrará opiniões diversas.
Em resumo, temos estudos científicos comprovando que a cinta auxilia em relação à limitação nos movimentos, mas fica claro que apenas seu uso não é suficiente.
De forma bem simples podemos dizer que a principal vantagem no uso da cinta é da mesma funcionar como um “lembrete” para que o colaborador mantenha a postura, mas mesmo que a utilize e continue realizando movimentos inadequados permanecerá sendo um potencial portador de problemas lombares.
O Segurito.

"Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também".

16 de junho de 2012

A Corrida dos Sapinhos – DDS de autoajuda.


Era uma vez uma corrida de sapinhos.  Eles tinham que subir uma grande torre e, atrás havia  uma multidão, muita gente que vibrava com eles.


Começou a competição. A multidão dizia: Não vão conseguir, não vão conseguir!


Os sapinhos iam desistindo um a um, menos um deles que  continuava subindo. E a multidão continuava a aclamar: Vocês não vão conseguir vocês não vão conseguir.


E os sapinhos iam desistindo, menos um, que subia tranquilo, sem esforços. Ao final da competição, todos os sapinhos desistiram menos aquele.
 
 

Todos queriam saber o que aconteceu, e quando foram  perguntar ao sapinho como ele conseguiu chegar até o fim,  descobriram que ele era SURDO.


Quando a gente quer fazer alguma coisa que precise de coragem  não deve escutar as pessoas que falam que você não vai conseguir.



Seja surdo aos apelos negativos.


“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também”.




15 de junho de 2012

Transtorno mental é 3ª causa de afastamento do trabalho.


Os transtornos mentais respondem pela terceira causa de afastamento do trabalho no Brasil, de acordo com levantamentos realizados pela Previdência Social de 2008 para cá. Essas doenças perdem apenas para as do sistema orteomuscular, caso da LER (Lesão por Esforço Repetitivo), e as lesões traumáticas.


Muitas vezes as patologias psiquiátricas se desenvolvem a partir do que se chama de estresse ocupacional. "Ele é ocasionado por vários fatores", considera Duílio Antero de Camargo, psiquiatra, médico do trabalho e coordenador do Grupo de Saúde Mental e Psiquiatria do Trabalho do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.


"Ter de cumprir metas abusivas, por exemplo. Há muita cobrança, muita competitividade nos ambientes corporativos, e a pressão que se forma leva às alterações."


Entre os males, o mais comum é a depressão. "Em determinados anos, responde por mais de 50% dos afastamentos por transtorno mental", contabiliza Camargo. Como ela é mais comum entre as mulheres - na proporção de 3 para cada homem -, diz o médico, sua incidência predomina nas ocupações em que há mais profissionais do sexo feminino. "É muito verificada entre professoras", comenta.


E também se relaciona à fase da vida da mulher. "Pode aparecer quando ela está mais vulnerável, como após o nascimento de um filho ou na menopausa, períodos em que há várias alterações na parte endocrinológica."


Segunda colocada no ranking das causas de afastamento por doença psiquiátrica, a ansiedade pode estar associada a transtornos de estresse pós-traumático - eles surgem depois de acidentes graves com risco de morte.


Policiais e bombeiros são tradicionalmente os profissionais mais afetados, mas bancários, bastante sujeitos a assaltos, e caminhoneiros, que sofrem sequestros relâmpago sobretudo nas madrugadas, entraram para o grupo de risco.


Em terceiro lugar da lista estão as perturbações originadas pelo consumo de substâncias psicoativas, como álcool, maconha e cocaína. Elas atacam principalmente quem lida com aspectos sociais que a maioria das pessoas prefere evitar, caso de lixeiros e coveiros.


Esgotamento - Um dos distúrbios característicos do mercado de trabalho atual é o Burnout, uma síndrome de esgotamento profissional.


"Acomete pessoas perfeccionistas, que fazem do trabalho uma missão de vida e, quando não veem resultado ou reconhecimento, não conseguem mais realizar as tarefas às quais sempre se dedicou", descreve o psiquiatra do HC. Nesses casos, mais uma vez os professores são as grandes vítimas.


Ansiedade - Vendedores que precisam cumprir metas quase impossíveis; executivos que tomam decisões vitais para a companhia; policiais, bombeiros e seguranças, que correm risco iminente de morte; profissionais da saúde, cuja responsabilidade é salvar vidas. O distúrbio adquire várias facetas, como a Síndrome do Pânico.

Síndrome de Burnout - É a completa exaustão emocional. O acometido pela doença não consegue mais exercer o trabalho a que antes se dedicava arduamente, por falta do devido reconhecimento ou dos resultados esperados ao longo de anos. Professores são bastante afetados.


Depressão - É o transtorno mental mais comum no mercado de trabalho e ataca mais as mulheres, especialmente nas fases da vida em que estão emocionalmente fragilizadas - como na chegada da menopausa; professoras são vítimas frequentes desse distúrbio.


Drogas - Atividades monótonas e repetitivas funcionam como gatilho para o consumo de álcool e de outras substâncias viciantes. Também recorrem a elas profissionais que precisam lidar com aspectos indesejáveis do cotidiano, como os coveiros e os lixeiros.



Revista Proteção / UOL.


"Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também".

14 de junho de 2012

Contran dispõe sobre a fiscalização do tempo de direção do motorista profissional .


O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabeleceu os procedimentos para fiscalização do tempo de direção e descanso do motorista profissional na condução dos veículos de transporte e de condução de escolares, de transporte de passageiros com mais de 10 lugares e de carga com peso bruto total superior a 4.536 kg, para cumprimento do disposto no art. 67-A, incluído no Código de Transito Brasileiro (CTB) pela Lei nº 12.619/2012.


Clique no link abaixo e veja a Resolução na integra.

Resolução Contran nº 405 / 2012


Diário Oficial da União.

“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também





13 de junho de 2012

Sabia que fotos no Orkut geram demissão por justa causa.


A 2ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) entendeu que o hospital Prontolinda, de Olinda (PE), agiu dentro da lei ao demitir uma enfermeira que postou fotos suas e de seus colegas durante o horário de trabalho na rede social Orkut.

De acordo com a decisão proferida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Pernambuco, mantida pelos ministros do TST, uma das fotos mostrava "uma das enfermeiras dançando semiagachada e uma mão supostamente tentando apalpá-la".

A empresa, segundo o processo, considerou que as fotos mostravam intimidades dos funcionários da equipe. A profissional, que estava há mais de um ano no hospital, foi demitida por justa causa. Ela recorreu à Justiça e obteve decisão favorável da 3ª Vara do Trabalho de Olinda.

O juiz Roberto de Freire Bastos entendeu que não havia motivos para a demissão e fixou indenização por danos morais à ex-funcionária. O valor estipulado foi o equivalente a 30 vezes o salário da enfermeira. Na decisão, o magistrado cita que as fotos demonstram "o espírito de confraternização, de amizade, união e carinho entre os funcionários".

A decisão, entretanto, foi reformada pelo TRT. O tribunal entendeu que a demissão por justa causa se enquadra no artigo nº 482, alínea b, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que estipula como motivo para rescisão do contrato de trabalho a "incontinência de conduta ou mau procedimento".

Também é citado no acórdão que nas fotos, que podiam ser livremente acessadas na internet, era possível ver a logomarca do hospital, divulgada sem o conhecimento da empresa, e que ficou claro que as enfermeiras brincavam ao invés de observar os pacientes em estado grave. O entendimento foi acompanhado pelo TST.

Segundo um dos advogados da ex-funcionária, Helder Pessoa de Macedo, a enfermeira não foi a única a postar fotos. "Outras pessoas também colocaram fotos no Orkut, e não foram punidas por justa causa", diz.

A advogada Márcia Bello, do Sevilha, Andrade, Arruda Advogados, destaca que a decisão vai no sentido contrário ao que é geralmente visto na Justiça trabalhista. "Esse caso mostra que a ofensa moral não é direcionada somente ao empregado, mas pode ocorrer também com o empregador", afirma.

Márcia diz que o trabalhador deve estar atento ao que publica nas redes sociais. "Ainda que o empregado queira postar fotos, tem que pedir consentimento das pessoas que vão ter imagens expostas, incluindo a empresa."

A advogada Carolina Benedet Barreiros Spada, do Mesquita Barros Advogados, afirma que percebeu um aumento no número de processos motivados por postagens em redes sociais. "É importante que as empresas expliquem aos empregados que suas atitudes nas redes sociais podem levar ao rompimento do contrato quando mancharem a imagem do empregador", diz

Valor Econômico.
“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também

12 de junho de 2012

A Bicicleta e o Vendedor – DDS.

Observando um pai, ensinando seu filho a andar de  bicicleta numa rua de Curitiba. Dá para tirar umas lições...


Para a bicicleta andar ou ficar de pé, precisa de equilíbrio ou de um apoio: parede, poste. Para se equilibrar, precisa andar.


Constatamos os cuidados necessários: sair devagar,  pedalando com firmeza e cautela.


Olhe o poste - diz o pai segurando pelo selim.


Segure firme o guidão - acrescenta o irmão mais velho.



Vai devagar e olhe para frente e não para o chão - grita a mãe.

Não esqueça o freio - fala tímida e delicadamente a irmãzinha que, para aprender custou-lhe, dias atrás, uma investida numa cerca de arame farpado...

Todos tentando apoiar e investir na aprendizagem do menino caçula.

Afinal, todos esperam que, após a habilidade conquistada, gere resultados: ele ande livre e feliz.

Assim é o que acontece com o profissional de vendas dos dias de hoje...

Para ficar de pé, andando, precisa estar sempre pedalando. Parou: caiu!

Pedalar na sua constante aprendizagem, com o apoio inicial de seu superior "segurando pelo selim", neutralizando os "postes" das objeções que o cliente mais crítico e exigente coloca.


Segurar firme no "guidão" dos objetivos quantificados que queremos alcançar e o mercado que se quer atingir.


"Olhar para frente", a fim de não se desviar do caminho e não bater no "poste". Há muito chão para percorrer, muitas e fantásticas oportunidades descortinam-se na atualidade no nosso país.



Ainda, de nada adianta olhar o progresso de globalização, mundialização de que tanto se fala, sem pisar no chão, ou melhor, sem pisar no pedal e pedalar...

É esse pedalar constante e prático que surgem os resultados.

“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também".

11 de junho de 2012

Ascensorista que trabalha em hospital precisa usar EPIS ?


Atuando na 21ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, a juíza substituta Ângela Cristina de Ávila Aguiar Amaral condenou a Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte a pagar adicional de insalubridade a uma trabalhadora que, durante cerca de nove anos, exerceu a função de ascensorista nas dependências do hospital, sem o uso dos equipamentos de proteção individual adequados.

No caso, o laudo pericial apurou que, em seu ambiente de trabalho, a ascensorista manteve contato direto e habitual com pacientes da Santa Casa. Segundo o perito, no exercício de suas funções, a trabalhadora auxiliava na condução de macas, cadeira de rodas, muletas e objetos pertencentes aos pacientes do hospital.

Era comum observar que muitas pessoas entravam no elevador espirrando e tossindo. Além disso, várias vezes a ascensorista precisou auxiliar doentes que tiveram um mal súbito dentro da cabine do elevador. Com base nesses dados, o perito concluiu pela caracterização da insalubridade em grau médio.

Em sua sentença, a magistrada pontuou que, nos termos do anexo 14, da NR -15, a insalubridade pode ser caracterizada nos trabalhos e operações em contato permanente com pacientes, animais ou com material infectocontagiante, em hospitais, serviços de emergências, ambulatórios, postos de vacinação e outros estabelecimentos destinados ao cuidado da saúde humana. Essa Norma Regulamentadora aplica-se somente ao pessoal que tenha contato com pacientes, bem como aos que manuseiam objetos de uso destes, sem prévia esterilização.

Na avaliação da julgadora, o trabalho realizado em local fechado, em contato com pessoas doentes, sem o uso de EPI, colocou em risco a saúde da ascensorista. Para a magistrada, ficou claro que apenas um minuto dentro da cabine de um elevador já é tempo suficiente para que ocorra o contágio por vírus e bactérias.

Por esses fundamentos, a juíza sentenciante condenou o hospital reclamado ao pagamento do adicional de insalubridade correspondente ao período não atingido pela prescrição. O TRT mineiro confirmou a sentença nesse aspecto.

Tribunal Regional do Trabalho 3ª Região.

“Seja seguidor desse blog, compartilhe com seus amigos também".