Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho – PNSST.


A maioria já sabe, desde novembro de 2011 temos uma Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho – PNSST.
Porém, muitos interpretam como sendo apenas um papel, ainda que eu não esteja tão empolgado com a realização de todos os objetivos traçados. Pelo menos tenho certeza de que haverá ações.
Mas por que eu tenho um pouco deste otimismo?
Imagine um casamento em que o padre pede para fazer o juramento e os noivos dizem:
Prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-te e respeitando-te até que a morte nos separe.
Alguém obrigou os dois a casar? (em geral, não), mas eles estão se comprometendo a fazer algo que pode até não ser cumprido, mas há uma intenção.
A PNSST foi um compromisso estabelecido pelo governo, onde mesmo debaixo de pressão política, poderia ter adiado esta decisão, no entanto, resolveu assumi-la.
Listo, a seguir, os objetivos estabelecidos pelo PNSST.
a) inclusão de todos trabalhadores brasileiros no sistema nacional de promoção e proteção da saúde;
b) harmonização da legislação e a articulação das ações de promoção, proteção, prevenção, assistência, reabilitação e reparação da saúde do trabalhador;
c) adoção de medidas especiais para atividades laborais de alto risco;
d) estruturação de rede integrada de informações em saúde do trabalhador;
e) promoção da implantação de sistemas e programas de gestão da segurança e saúde nos locais de trabalho;
f) reestruturação da formação em saúde do trabalhador e em segurança no trabalho e o estímulo à capacitação e à educação continuada de trabalhadores; e
g) promoção de agenda integrada de estudos e pesquisas em segurança e saúde no trabalho.
OBS. No site da Fundacentro você consegue baixar o plano completo.
 
"Prevencionista, se você gostou, compartilhe esse blog com seus amigos e um dia verá que essa atitude faz parte da sua história”.

Comentários

Postagens mais visitadas

O USO DO LEITE COMO DESINTOXICANTE NAS INDÚSTRIAS – DDS.

Fábula da xícara cheia – DDS de reflexão.

QUANTO CUSTA UM ACIDENTE? – DDS