Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

31 de março de 2013

MENOR AO VOLANTE - DDS.


Como se explica a paixão do adolescente pelos automóveis?
 
Adolescência é um período caracterizado pela insegurança e instabilidade emocional. Para o jovem, o carro é um instrumento de autoafirmação. Dentro de um carro, ele se sente mais bonito, atraente e, por isso, mais seguro.
 
O automóvel deixa de ter a função utilitária de transporte e passa a compensar a sensação de inferioridade e impotência que o jovem sente diante do mundo. O adolescente se identifica a tal ponto com seu carro que este acaba fazendo parte de seu próprio corpo.
 
Por que os jovens se revoltam quando os pais os proíbe de dirigir sem carteira?
 
O jovem sente a proibição como um meio dos pais impedirem ou retardarem sua passagem para o mundo adulto. É difícil para o jovem compreender, porque ele se sente inteiramente capaz de controlar um automóvel. E ele não está totalmente errado.
 
Em geral os jovens têm grande habilidade para atividades manuais, reflexos rápidos e facilidade para operar máquinas. Alguns dirigem muito bem, sem nunca terem frequentado uma autoescola.
 
O problema é que há um descompasso entre seu desenvolvimento motor e emocional. Enquanto a parte motora é extremamente desenvolvida e a visão e audição muito acuradas, a parte emocional é bastante instável. Atitudes maduras alternam-se a reações infantis.
 
O que dizer ao meu filho menor de idade que insiste em dirigir?
 
Pelas leis penais, um menor de 18 anos ao volante está praticando uma contravenção penal. Embora penalmente não seja ele o responsável, poderá complicar a vida de muitos. Por exemplo: pais ou responsáveis (e o proprietário do veículo, se for o caso) pelo menor que desrespeita o Código Nacional de Trânsito estão sujeitos à maior multa prevista em lei, apreensão da carteira de habilitação e, ainda, às penas do Código Penal e Civil, em caso de acidente com vítimas ou danos materiais.
 
Se o acidente tiver vítimas, fatais ou não, a pessoa ou pessoas que permitiram o uso do veículo serão enquadradas como coautoras do crime em questão (homicídio ou lesões corporais), respondendo a inquérito policial e consequente ação penal.
 
As penas previstas variam de três meses a vinte anos de prisão.
 
Quanto aos acidentes com danos materiais, o menor de 18 anos também não responde por eles. E continua sem responder até os 21 anos de idade, a não ser que se emancipe antes. Nestes casos, portanto, os prejuízos recaem também sobre os pais, responsáveis e proprietários do veículo.
 
Ao menor de 18 anos que desrespeita as leis ao volante, a Justiça aplica medidas que variam caso por caso. Elas podem ir desde uma advertência até o internamento em estabelecimento educacional apropriado.
 
Você pode evitar conflitos mantendo um diálogo franco. Mostre a ele o que a lei determina sobre a habilitação para motoristas amadores.
 
O problema de menores conduzindo veículos é muito comum e na maioria das vezes com o conhecimento dos próprios pais, que neste caso assumem a posição dos coautores, estando sujeito às penalidades mencionadas acima.
 
Fica aqui um alerta para estes pais reavaliarem sua postura perante os filhos, pois uma simples voltinha pode se transformar em um pesadelo.
 
 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.
 

30 de março de 2013

Profissionais acima dos 50 anos.


Ao contrário do quer muitos pensam, profissionais acima de 50 anos ainda têm seu espaço no mercado de trabalho e que há muitas oportunidades para esse perfil.
 
Candidatos desta faixa etária que tiveram seus currículos visualizados pelas empresas usuárias de site de recrutamento e seleção estão empregados.
 
Os setores que mais requisitaram o profissional desta faixa etária, segundo a pesquisa foram: indústria metalúrgica; indústria alimentícia (alimentos e bebidas); comércio varejista; indústria automobilística; bancos e instituições financeiras; empresas de auditoria, gestão e assessoria empresarial; comércio atacadista; construção civil; empresas de logística: transportes, distribuição e armazenagem; e indústria química (farmacêuticas e cosméticas). O indivíduo com este perfil também tem encontrado oportunidades em consultoria empresarial, informática e tecnologia da informação, assim como em hospitais e estabelecimentos da área de saúde ou em escolas e demais instituições de ensino em geral.
 
Recrutadores especializados em seleção on-line concordam que houve um aumento da procura por profissionais maduros e enfatiza que, em geral, em todos os setores onde há escassez de mão de obra, encontram-se oportunidades para profissionais com mais de 50 anos.
 
Há casos de profissionais que já estavam aposentados, mas que voltaram ao mercado de trabalho ao receberem propostas atraentes nessas áreas. Os profissionais com idade mais avançada que demonstrem energia são a melhor opção quando se deseja sólida experiência.
 
Ainda existe muito espaço para esse tipo de candidato no mercado e que o preconceito com relação a pessoas acima da casa dos 50 é cada vez mais um preconceito. Se esses profissionais se mantiverem ativos e com vontade de aprender, eles podem oferecer experiências valiosas para as demandas atuais das empresas.
 
 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor  compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.
 

29 de março de 2013

Linda Mensagem de Páscoa desse Blog.

Páscoa significa renascimento, renascer.
Desejo que neste dia, em que nós cristãos, comemoramos o seu renascimento para a vida eterna, possamos renascer também em nossos corações.
Que neste momento tão especial de reflexão possamos lembrar daqueles que estão aflitos e sem esperanças.
Possamos fazer uma prece por aqueles que já não o fazem mais, porque perderam a fé em um novo recomeçar, pois esqueceram que a vida é um eterno ressurgir.
Não nos deixe esquecerque mesmo nos momentos mais difíceis do nosso caminho, tú estás conosco em nossos corações, porque mesmo que já tenhamos esquecido de ti, você jamais o faz.
Pois, padeceste o martírio da cruz em nome do Pai e pela humanidade, que muitas e muitas vezes esquece disso.
Esquecem de ti e do teu sacrificio Quando agridem seu irmão, Quando ignoram aqueles que passam fome, Quando ignoram os que sofrem a dor da perda e da separação, Quando usam a força do poder para dominar e maltratar o próximo, Quando não lembram que uma palavra de carinho, um sorriso, um afago, um gesto podem fazer o mundo melhor.
Jesus...
Conceda-me a graça de ser menos egoísta, e mais solidário para com aqueles que precisam.
Que jamais esqueça de ti e de que sempre estarás comigo não importa quão difícil seja meu caminhar.
Obrigado Senhor, Pelo muito que tenho e pelo pouco que possa vir a ter. Por minha vida e por minha alma imortal.
Obrigado Senhor!
 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.
 

28 de março de 2013

Empresa é condenada por adoecimento de trabalhador, terá de pagar R$ 1 milhão e médico da empresa, R$ 200 mil por omissão.

Uma  multinacional que produz terminais elétricos, foi condenada em R$ 1 milhão por expor seus empregados a insalubridade e riscos ergonômicos. A sentença foi dada pela 9ª Vara do Trabalho de Campinas em ação do Ministério Público Trabalho.

Na mesma ação, o médico da empresa foi condenado a pagar R$ 200 mil por sonegar a emissão de Comunicações de Acidente de Trabalho (CATs), o que impossibilita o afastamento do trabalhador pelo INSS. A empresa pode recorrer da decisão.

A companhia foi acionada em juízo após investigações do MPT que constataram más condições de segurança e medicina do trabalho, com registro de doenças causadas por esforço repetitivo, como lesão por esforço repetitivo (LER) e distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho (DORT) em fábrica em Campinas.

“É assustador como a conduta irresponsável e omissa da empresa para com os seus empregados gerou uma fábrica de trabalhadores debilitados e mesmo incapazes ao trabalho”, lamentou o juiz Henrique Macedo Hinz na sentença.

O médico da empresa foi processado na mesma ação por imperícia nos laudos, a fim de mascarar acidentes de trabalho, e por prática de assédio moral, como forma de forçar os empregados a voltar à linha de produção, mesmo sentindo dores.

Após denúncia do MPT, a conduta profissional do médico está sob investigação do Conselho Regional de Medicina (CRM). Ele foi demitido da multinacional durante o andamento da ação.

Problemas – As investigações na empresa apontaram ritmo de trabalho intenso, sem pausas para descanso e com repetição exaustiva das rotinas de produção, especialmente nos setores de montagem e de embalagem, além da ausência de análise ergonômica dos postos de trabalho e programa de proteção a riscos de acidentes.

Depoimentos tomados pelo procurador do Trabalho Mário Antônio Gomes, à frente do caso, mostraram que os trabalhadores sentiam medo de represália das chefias caso parassem as atividades, já que são constantemente ameaçados de demissão por justa causa.

“Quando são consultados pelo médico da empresa, são surpreendidos com o aviso da aplicação da pena de suspensão pela caracterização desídia, e comunicados da abertura de inquérito para apuração de falta grave”, explica o procurador.

Obrigações – Com a decisão, a Hollingsworth deve elaborar ordens de serviço sobre segurança e medicina do trabalho, informando aos trabalhadores a respeito dos riscos profissionais de suas atividades e fazer análises ergonômicas.

O trabalho inclui a implantação de programas de prevenção para evitar novos acidentes, criação de equipe médica e emissão de comunicações de acidente de trabalho (CATs) em caso de acidente ou suspeita. A sentença prevê um total de 14 obrigações, que incluem o fim do assédio moral.

Todos os profissionais afastados por lesões devem ser realocados em atividades compatíveis à sua capacidade física. O descumprimento de qualquer obrigação acarretará o pagamento de multa diária de R$ 2 mil por infração e por trabalhador atingido.


“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

27 de março de 2013

Domesticando o trabalho.


Numa república, precisamos limitar ao máximo as leis que criam distinções de direitos entre diferentes segmentos sociais. Nesse contexto, não há como deixar de aplaudir a PEC que iguala os direitos trabalhistas de empregados domésticos aos dos demais assalariados. Daí não decorre que tudo já esteja resolvido com a aprovação.
 
A fase de adaptação pode trazer efeitos opostos aos esperados. Se a lei for aplicada com rigor, os custos de contratação sobem significativamente, fazendo com que uma fatia da classe média ou desista da doméstica ou recorra à informalidade.
 
Se os prejuízos ficassem limitados à perda de conforto para um grupo, poderíamos seguir em frente, mas não é tão simples. Se a oferta de empregos domésticos encolher muito rapidamente, haverá comprometimento da renda para muitas trabalhadoras. Também não será fácil treiná-las para assumir outras funções.
 
Na hipótese de aumento da informalidade, tudo ficaria mais ou menos como está em termos de custos e renda, mas estaríamos criando um problema futuro para a Previdência e haveria a precarização da situação trabalhista das domésticas, que é o exato oposto do que se deseja.
 
Parte dos problemas pode ser contornada na regulamentação. Se se permitir que a jornada de oito horas seja executada em dois blocos de quatro horas, de modo que a doméstica possa preparar as três refeições do dia sem incorrer em várias horas extras, o impacto das mudanças fica mais palatável para os empregadores e será menos conturbada a inevitável transição do atual modelo em que quase todas as famílias de classe média têm uma empregada para a situação, verificada nos países ricos, em que a doméstica é luxo para poucos.
 
Haverá um bônus extra se a discussão resultar na revisão de pontos da legislação trabalhista. Regras que impedem a implementação de acordos que as duas partes julgam satisfatórios dificilmente são positivas.
 
Senado aprova PEC das domésticas: Proposta iguala direitos trabalhistas dessa categoria aos dos demais trabalhadores privados - emenda deve ser promulgada em 2 de abril.
 
 
Senado aprovou ontem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 66, conhecida como PEC das domésticas, que iguala os direitos trabalhistas dessa categoria aos dos demais trabalhadores privados.
 
Numa sessão em que não faltaram homenagens à deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), que foi doméstica, os parlamentares deram 66 votos favoráveis e nenhum contrário às mudanças. Eram necessários 49 votos.
 
A expectativa é que a emenda seja promulgada no dia 2 de abril. A partir de então, começam a valer novos direitos, como a jornada de 44 horas semanais, com o limite de 8 horas diárias, e o adicional de hora extra.
 
Outros pontos, como o recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o adicional de serviço noturno ainda dependem de nova regulamentação, o que significa que demorarão um pouco mais para entrar em vigor. Esses são os pontos que mais deverão pesar no orçamento dos empregadores.
 
Para as famílias que têm empregados, o primeiro passo após a promulgação da PEC é fazer um contrato, recomenda a juíza Noêmia Porto, presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 10.ª Região.
 
"É importante que cada empregador doméstico faça uma consulta, pergunte o modelo adequado, para que as partes fiquem mais seguras. Sem o contrato de trabalho, nem sequer é possível ver se a relação da jornada de trabalho está sendo levada a sério", diz a juíza.
 
Especialistas recomendam também a adoção de uma folha de ponto para controlar as horas extras. O professor de Direito Constitucional pela Universidade de Brasília (UnB), Paulo Blair, disse que o empregador deve estar atento aos momentos em que o trabalhador estiver à disposição dele, já que esses podem ser considerados como tempo de trabalho.
 
Regulamentação. O Ministério do Trabalho admitiu que deverá levar até quatro meses para elaborar as propostas de leis que vão regulamentar parte dos novos direitos. Se os planos dos conselheiros políticos do Planalto avançarem, porém, esse prazo será mais curto. Há quem defenda a elaboração de uma medida provisória a toque de caixa, para ser anunciada no dia 1.º de maio.
 
A secretária de Autonomia Econômica das Mulheres, da Secretaria de Política para Mulheres da Presidência da República, Tatau Godinho, disse que o Planalto, bem como os ministérios (Trabalho e Previdência Social) relacionados têm se reunido para avaliar como isso deve se dar.
 
A votação foi acompanhada pelo deputado federal e ex-senador Carlos Bezerra (PMDB-MT), primeiro subscritor da PEC, pelas ministras Eleonora Menicucci (Política para Mulheres) e Luiza Bairros (Igualdade Racial), e por Delaíde Miranda, ex-doméstica e atual ministra do Tribunal Superior do Trabalho.
 
Veja na integra, Clique aqui:
 
 
O Estado de São Paulo.

 “Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

26 de março de 2013

Os três leões – DDS para reflexão.


Numa determinada floresta havia 3 leões. Um dia o macaco, representante eleito dos animais súditos, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e disse:
 
Nós, os animais, sabemos que o leão é o rei dos animais, mas há uma dúvida no ar: existem 3 leões fortes. Ora, a qual deles nós devemos prestar homenagem? Quem, dentre eles, deverá ser o nosso rei?
 
Os 3 leões souberam da reunião e comentaram entre si: - É verdade, a preocupação da bicharada faz sentido, uma floresta não pode ter 3 reis, precisamos saber qual de nós será o escolhido. Mas como descobrir?
 
Essa era a grande questão: lutar entre si eles não queriam, pois eram muito amigos. O impasse estava formado. De novo, todos os animais se reuniram para discutir uma solução para o caso. Depois de usarem técnicas de reuniões do tipo brainstorming, etc. eles tiveram uma ideia excelente.
 
O macaco se encontrou com os 3 felinos e contou o que eles decidiram:
 
Bem, senhores leões, encontramos uma solução desafiadora para o problema. A solução está na Montanha Difícil.
 
Montanha Difícil? Como assim?
 
É simples, ponderou o macaco. Decidimos que vocês 3 deverão escalar a Montanha Difícil. O que atingir o pico primeiro será consagrado o rei dos reis.
 
A Montanha Difícil era a mais alta entre todas naquela imensa floresta. O desafio foi aceito. No dia combinado, milhares de animais cercaram a Montanha para assistir a grande escalada.
 
O primeiro tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.
 
O segundo tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.
 
O terceiro tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.
 
Os animais estavam curiosos e impacientes, afinal, qual deles seria o rei, uma vez que os 3 foram derrotados ? Foi nesse momento que uma águia sábia, idosa na idade e grande em sabedoria, pediu a palavra:
 
Eu sei quem deve ser o rei!!! Todos os animais fizeram um silêncio de grande expectativa. - A senhora sabe, mas como? Todos gritaram para a Águia. - É simples, - confessou a sábia águia, - eu estava voando entre eles, bem de perto e, quando eles voltaram fracassados para o vale, eu escutei o que cada um deles disse para a montanha.
 
O primeiro leão disse: - Montanha, você me venceu!
 
O segundo leão disse: - Montanha, você me venceu!
 
O terceiro leão também disse: - Montanha, você me venceu, por enquanto! Mas você, montanha, já atingiu seu tamanho final, e eu ainda estou crescendo.
 
A diferença, - completou a águia, - é que o terceiro leão teve uma atitude de vencedor diante da derrota e quem pensa assim é maior que seu problema: é rei de si mesmo, está preparado para ser rei dos outros.
 
Os animais da floresta aplaudiram entusiasticamente ao terceiro leão que foi coroado rei entre os reis.
 
MORAL DA HISTÓRIA: Não importa o tamanho de seus problemas ou dificuldades que você tenha; seus problemas, pelo menos na maioria das vezes, já atingiram o clímax, já estão no nível máximo - mas você não. Você ainda está crescendo.
 
Você é maior que todos os seus problemas juntos. Você ainda não chegou ao limite de seu potencial e performance.
 
A Montanha das dificuldades tem tamanho fixo, limitado. E, lembrem-se daquele ditado:

"Não diga a Deus que você tem um grande problema, mas diga ao problema que você tem um grande Deus."

 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

24 de março de 2013

A bomba de água – DDS de Autoajuda.

Um homem estava perdido no deserto, prestes a morrer de sede. Eis que ele chegou a uma cabana velha, quase caindo aos pedaços. Encontrou uma sombra onde se acomodou, fugindo do sol desértico.
 
Olhando ao redor, viu uma velha bomba de água, bem enferrujada.
 
Ele se arrastou até a bomba, agarrou a manivela e começou a bombear, a bombear, a bombear sem parar. Nada aconteceu.
 
Desapontado, caiu prostrado para trás. E notou que ao seu lado havia uma velha garrafa.
 
E, na garrafa tinha um recado que dizia: "Meu amigo, você precisa primeiro preparar a bomba derramando sobre ela toda água desta garrafa. Depois, faça o favor de encher a garrafa outra vez, para o próximo viajante".
 
homem arrancou a rolha da garrafa e constatou que ela estava quase cheia!
 
De repente, o dilema.
 
Se bebesse aquela água, poderia sobreviver. Mas, se despejasse a água na velha bomba enferrujada e ela não funcionasse morreria de sede.
 
O que fazer?
 
Espejar a água na velha bomba e esperar a água fresca ou beber a água da velha garrafa e desprezar a mensagem?
 
Com relutância, o homem resolveu despejar toda a água na bomba. Em seguida, agarrou a manivela e começou a bombear e a bombear.
 
Pôs-se a ranger e a chiar sem fim.
 
De repente, surgiu um fiozinho de água, depois um pequeno fluxo e, finalmente, a água jorrou com abundância!
 
O homem, aliviado, matou a sede com água fresca e cristalina e depois voltou a encher a garrafa para o próximo viajante.
 
Encheu a garrafa até o gargalo, arrolhou e acrescentou a nota: "Creia, funciona. Você precisa dar toda a água antes de ter de volta."
 
A gente pode extrair várias lições desta história...
 
Quantas vezes temos medo de iniciar um novo projeto, pois este demandará um enorme investimento de tempo, recursos, preparo e conhecimento?
 
Quantos ficam parados satisfazendo-se com pequenos resultados, quando poderiam conquistar significativas vitórias?
 
E você?
 
O que falta para despejar esta garrafa de água que você guarda e está prestes a beber e conseguir água fresca em abundância de uma nova fonte?
 
Já parou para pensar!
 

“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

23 de março de 2013

Envio currículo e não sou chamado para entrevista! Reflexão.


O que acontece com profissionais com ampla experiência que querem uma nova recolocação e após enviar muitos currículos nem sequer são chamados para uma simples entrevista.
 
Companheiros, parece que este problema é mais comum do que eu pensava, acredito que outros fatores são determinantes na escolha de uma profissional (mesmo que seja só para uma simples entrevista), certamente não é a competência que vale nesses casos.
 
Acredito que os Recrutadores são obrigados a escolherem um perfil por indicação "superior" ou não possuem a competência técnica de requerida para avaliar um potencial colaborador.
 
Tenho recebido relato de diversas "injustiças" nos processos seletivos dos quais participaram amigos e pelos relatos, sinceramente os métodos atuais parece prejudicar não só o candidato, mas, principalmente as empresas que deixar muita das vezes escapar entre os dedos, mão de obra experiente impressindivel para a continuidade operacional da empresa.
 
Faço uma pergunta aos senhores (as) Recrutadores:
 
De um modo geral são capacitados para conduzir uma entrevista técnica com especialista em Segurança com experiencia nas atividades que envolvam Leis, NBR’s, NR’s, Auditorias, Gestão de QSMS, SIGM, IPS, Relatórios Técnicos e Projetos, dentre outros?
 
Claro que não, essas atividades devem ser avaliadas por quem entende desse processo, que possuam conhecimentos minimos das atividades e do desempenho da função.
 
Quando o candidato consegue avançar para avaliação com gestores, muitas vezes os assustamos por sermos articulados, estarmos muito preparados, carregarmos muita experiência em nosso currículo, sem falar da competência pessoal que muita das vezes, intimidam gestores, pois, esses encaram como uma grande ameaça ao seu próprio cargo, que acabam dando preferencia aos menos capacitados mantendo sua zona de conforto para manter seus empregos.
 
Todos sabemos que hoje é comum um Técnico em Segurança do trabalho está muito mais habilitado profissionalmente para assumir o QSMS de uma empresa do que muitos outros prevencionistas que exercem essa função.
 
Essas seleções são de modo geral, vergonhosas, descriminátorias e covarde, pois, roubam o tempo dos candidatos que estão necessitando de um trabalho que antecipadamente você já sabe não ser aquele que vai ocupar a vaga.
 
Senhores (as) Recrutadores (as),  se pergunte com bastante frequência, será que estou “roubando” de alguém alguma informação que podem lhes ser úteis para o seu crescimento pessoal e profissional, o direito de sonhar, o direito de conhecer a verdade, o direito de estar roubando a vida profissional desses candidatos, o direito de receber feedback dessa entrevista?
 
Concluo essa postagem implorando que façamos um exame de consciência mais profundo na forma de selecionar candidatos experientes para que não roubemos o sonho de um novo emprego e, principalmente a espectativa profissional.
 
Marcio Santiago Vaitsman


“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.


 
 

22 de março de 2013

O QUE É ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS? - DDS.


Análise Preliminar de Riscos, É o estudo feito por especialistas das diversas áreas de atuação que durante a fase de concepção, desenvolvimento de um projeto ou sistema, tem a finalidade de determinar os possíveis riscos que poderão ocorrer na fase operacional de uma atividade.
 
É utilizada portanto para uma análise inicial, desenvolvida na fase de projeto e desenvolvimento de qualquer processo, produto ou sistema, tendo especial importância na investigação de sistemas novos de alta inovação e/ou pouco conhecidos, ou seja, quando a experiência em riscos na sua operação é deficiente. Apesar das características de análise inicial, é muito útil de se utilizar como uma ferramenta de revisão geral de segurança em sistemas já operacionais, revelando aspectos que às vezes passariam despercebidos.
 
Todos os empregados deverão conhecer as fontes potenciais de riscos envolvidos nos trabalhos que serão executados dentro da empresa, bem como as respectivas medidas mitigadoras para controle exigido pela área de segurança do trabalho.
 
Assim sendo, todos os trabalhos não rotineiros de empresas contratadas ou não, necessitam de uma “Permissão” formal para realização dos trabalhos nas suas respectivas áreas.
 
A emissão da “Permissão de Trabalho” será obtida após a realização de uma “Analise Preliminar de Riscos” para avaliação dos riscos potenciais envolvidos, bem como as medidas de controle a serem aplicadas, devendo participar, no mínimo, as seguintes pessoas:
 
Reunião de equipe multidisciplinar; Fiscal do contrato; Executante; Especialista da área e Técnico em Segurança da empresa e da contratada se for o caso.
 
Depois de preenchido e assinado por todos os formulário da APR deverá ser lida antes do inicio da atividade para que todos os envolvidos tomem conhecimento do teor e manter o formulário afixado junto ao grupo de trabalho enquanto aquela atividade estiver sendo desenvolvida.

 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

21 de março de 2013

DIVULGAÇÃO DE EVENTOS DE SEGURANÇA.

TRT-2 promove evento sobre saúde e segurança laborais:

Valorizando Nossos Bens Mais Preciosos: a Vida e a Saúde.

A informação como forma de prevenção de doenças e acidentes no ambiente de trabalho será a base do evento Valorizando nossos bens mais preciosos: a vida e a saúde. Realizado em parceria entre a Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região – Ejud 2 e a Comissão de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho – CRESMT do Tribunal, o encontro acontecerá nas cinco circunscrições do TRT-2.

Além de acontecerem de forma descentralizada, os temas abordados serão de acordo com a realidade de cada região em que serão apresentados. No total, serão mais de 20 palestras proporcionando debates sobre aspectos ligados à saúde e à segurança no trabalho.

Para efetuar a inscrição, acesse a página da Ejud-2 (clique aqui). É possível escolher em qual/quais encontros se inscrever. O prazo vai até o dia 31 de março. As datas das exposições variam de 4 a 25 de abril. Confira abaixo a programação completa:

CONVITE

A Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região – EJUD2 e a Comissão de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho – CRESMT do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, convidam os senhores Magistrados, Servidores, Advogados, Estudantes e Público Interessado para o evento.

Veja programação completa no link:



 

“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.