Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

27 de janeiro de 2015

Santa Catarina consegue primeira liminar do Brasil contra aplicação da NR-12.

O Sindicato da Indústria da Madeira de Caçador obteve liminar, na Vara do Trabalho de Caçador assegurando a aplicação da Norma Regulamentadora 12 (NR-12) vigente até 24/12/2010 para máquinas e equipamentos adquiridos até aquela data.

A decisão emitida pelo juiz Etelvino Baron estabelece que equipamentos obtidos após 2010 devem seguir os preceitos da nova redação do regulamento. A liminar, primeira do país em relação à aplicação da norma, beneficia as indústrias associadas ao Sindicato. A ação foi impetrada com o apoio da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC).
 
A NR-12, editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), regulamenta o uso de máquinas e equipamentos e passou por mudanças que agregaram 300 novas exigências às 40 que já estavam em vigor.
 
A decisão da Justiça do Trabalho de Caçador também determina que o MTE se abstenha de realizar fiscalizações coletivas ou de forma indireta. Com isso, fiscais não podem autuar empresas sem visitar as instalações.
 
Em sua argumentação, o juiz destacou que em algumas situações os investimentos para adequação à nova regra podem comprometer a viabilidade da própria empresa, atentando contra o princípio da razoabilidade, o que fecharia postos de trabalho, além de prejudicar a ordem econômica.
 
O magistrado também entende que "nenhum empregador sério deixará de ampliar os mecanismos de segurança quando viável, se não o for em respeito ao princípio da dignidade humana, certamente, o fará para resguardar-se em face dos pleitos indenizatórios que advirão".
 
Obstáculos identificados pela FIESC para aplicação da NR-12.
 
Alta complexidade: as obrigações acessórias passaram de 40 para 340.
 
Desconformidade com o padrão mundial: máquinas fabricadas na União Europeia, por exemplo, podem não estar adequadas à NR-12.
 
Retroatividade das obrigações: a norma se aplica inclusive às máquinas compradas antes da reformulação em 2010.
 
Custos: são elevados para adequação das máquinas e os prazos insuficientes para realizar as alterações.
 
Certificação: falta de órgão certificador para atestar a validade para máquinas e equipamentos. Cabe ao setor produtivo contratar consultorias especializadas.

 
Revista Proteção.
 
 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações disponibilizadas nesse Blog são de caráter genérico e sua utilização é de responsabilidade exclusiva de cada leitor.