Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

3 de fevereiro de 2015

Começar do zero? Nem tanto.


Um tema recorrente nos artigos e reportagens sobre carreira é o crescente número de profissionais que decidem jogar tudo para o alto e dar uma guinada radical na vida profissional, com exemplos que vão dos mais jovens aos mais consolidados em suas posições.
 
O movimento é corroborado por estatísticas de consultorias e orientadores de carreira. Eles afirmam que o número de profissionais que procuram os seus serviços e acalentam este desejo é cada vez maior.
 
Nos depoimentos que ilustram este tipo de mudança é comum a utilização da expressão “zerei e comecei tudo de novo”. É possível alguém zerar a própria experiência e recomeçar sua carreira do zero? Como? Dois aspectos importantes chamam a atenção nos casos bem-sucedidos e servem de alerta para quem está pensando em realizar uma alteração radical, especialmente aqueles com trajetórias mais longas, para os quais tais mudanças são mais complexas.
 
A primeira é que a mudança é sempre precedida por um cuidadoso planejamento financeiro, que calcula o custo deste movimento. Há sempre um “intervalo”, um espaço de tempo necessário para adquirir novos conhecimentos e experiências, formar novos vínculos e “engatar” no novo mercado. Esta curva de aprendizagem dificilmente leva menos de dois anos, mas pode se estender por muitos mais, dependendo da distância entre o que fazia e o que pretende fazer. Quanto maior o aprendizado envolvido, mais se alonga o ciclo e, consequentemente, o fôlego financeiro para bancar a nova carreira.
 
Examinando os casos mais a fundo, é possível notar que as mudanças extremamente radicais, como a de um executivo que se torna um médico aos 40 anos, são muito raras. O que acontece na maior parte das vezes, e aí entra o segundo aspecto importante a considerar, é que os profissionais, de fato, não zeram, mas identificam e “transpõem” aspectos de sua experiência anterior, aproveitando-os na nova empreitada. Aí, quanto mais competências, conhecimentos e experiências anteriores puderem servir no novo rumo, mais se encurta o tempo, e, consequentemente, os custos da mudança.
 
A rede de relacionamentos e os conhecimentos de propaganda e comunicação foram fundamentais para que a executiva de marketing de uma multinacional se tornasse fotógrafa profissional. Poucos se dão conta do patrimônio pessoal que acumularam durante anos e que pode se tornar proveitoso na hora de uma guinada, tornando-a mais amena e com maiores chances de prosperar.
 
O Estado de São Paulo.
 
 
“Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações disponibilizadas nesse Blog são de caráter genérico e sua utilização é de responsabilidade exclusiva de cada leitor.