Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

19 de junho de 2015

RUÍDO EM CALL CENTERS - DDS.


O setor de tele serviços tem crescido, em média, 10% ao ano, atualmente as empresas de Call Center já empregam mais de um milhão de pessoas em todo o país. Cerca de 40% desses cargos são ocupados por jovens em seu primeiro emprego, na maioria dos casos de 6 horas por dia,durante a realização de seu estudo nas universidades ou no segundo grau.
 
Existe legislação trabalhista através da portaria 3124/1978 do M. T. E. que limita a exposição ao ruído no ambiente de trabalho em 87 dBA para 6 horas de jornada por dia. Na maioria dos casos, os trabalhadores de Call Center usam um headfone de um ouvido.
 
Os Call Centers normalmente são divididos em salas, onde cada uma tem cerca de 20 a 100 trabalhadores aproximadamente. Nestas salas existem as mesas de trabalho, um computador para cada trabalhador e o supervisor de serviços.
 
As conversas dos trabalhadores com os clientes pelo headset e aliada a conversas do supervisor com os outros trabalhadores na sala, torna o ambiente com ruído de fundo alto fazendo com que os trabalhadores aumentem a voz e o volume de conversa com o cliente para conseguir entender e analisar cada situação.
 
Assim os trabalhadores acabam ficando com alta carga mental e de concentração, além do aumento da dose de ruído percebida.
 
Existem duas normas internacionais que norteiam como fazer a medição da dose de ruído.
 
I. Usando microfone em ouvido real de telefonistas;
 
II. Usando cabeça simuladora artificial;
 
Deve-se tomar cuidado da existência no mercado brasileiro de empresas e pessoas que fazem as medições da dose de ruído dos telefonistas, sem satisfazer as normas. Estas empresas usam uma cabeça de baixo custo que não tem as dimensões padronizadas do ouvido e simuladoras não padronizadas, e até usam o dosímetro normal que não satisfaz as normas.
 
O dosímetro normal tem faixa dinâmica e tipo de microfone que não satisfaz as normas mencionadas aqui de medição da dose de ruído para usuários de headset.
 
Baseado nos trabalhos de pesquisas e desenvolvimentos feitos na UFSC, em teses concluídas de mestrado e doutorado além de trabalhos publicados em revistas indexadas e congressos, é recomendável usar a norma de medição com mini microfone em ouvido real ISSO 11904-1 e evitar usar norma de cabeça ISSO 11904-2.
 
 
"Prevencionista, se você gostou, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações disponibilizadas nesse Blog são de caráter genérico e sua utilização é de responsabilidade exclusiva de cada leitor.