Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

21 de agosto de 2015

Cochilar no trabalho pode ser bastante exaustivo.


Durante mais de uma década, pesquisas comprovaram os benefícios de cochilar no trabalho.
 
Mais um estudo, divulgado neste trimestre pela Universidade de Michigan, mostrou que os participantes que tiraram um cochilo de uma hora lidaram melhor com tarefas frustrantes do que quem não cochilou.
 
A ciência sabe que o sono na metade do dia produz diversos benefícios, inclusive a melhora da memória, o aumento do nível de alerta e a redução de equívocos.
 
Há também algumas evidências de que os cochilos ajudam na criatividade e na solução de problemas.
 
Por outro lado, os pesquisadores descobriram que os trabalhadores perdem 11,3 dias de trabalho por causa da privação do sono.
 
Como resultado dessas descobertas, incontáveis artigos ao longo dos anos imploraram que os funcionários administrativos cansados tirassem um intervalo para cochilar — tudo em nome do aumento da produtividade.
 
Mas quem de fato faz isso? Eu não faço. Para verificar o porquê de todo esse alvoroço em relação aos cochilos, testei um regime de sestas durante um período de quatro dias no trabalho, dedicando 20 minutos a cada tarde para dormir no trabalho.
 
Apesar de uma crescente aceitação filosófica dos cochilos e do aumento no número de salas para dormir nos escritórios, tirar uma soneca no trabalho é algo que não tem muito sentido prático.
 
A maioria dos horários de trabalho, ao contrário dos praticados nos jardins de infância, não tem incorporado um momento para o cochilo.
 
O escritório não pode parar, e não para, por causa do seu momento de descanso de  20 ou 90 minutos.
 
Antes de partir para o cochilo, procurei especialistas em sono para saber o que faz com que uma sesta seja perfeita. Há duas quantidades ideais de tempo para o sono durante o dia: 20 ou 90 minutos.
 
“Se você cochila por muito mais que 20 minutos, você acaba entrando no sono profundo”, explica Christopher Lindholst, fundador e CEO da MetroNaps, que fabrica cápsulas de cochilo.
 
“Você experimenta a chamada inércia do sono quando acorda; demora mais para você ficar alerta novamente e voltar ao trabalho”.
 
Os pesquisadores da soneca também recomendam um ciclo completo de sono para evitar aquela sonolência.
 
O problema é que se desligar durante uma hora e meia é muito menos prático durante um horário de trabalho já movimentado.
 
Por motivos práticos, eu optei pelo cochilo de 20 minutos, a ser feito em qualquer momento da tarde em que fosse possível dentro da programação daquele dia.
 
Por não contar com uma sala para cochilos, tive que dormir na minha mesa, uma situação tão comum que originou toda uma indústria de acessórios pensados para ela. Para o meu experimento, usei diferentes equipamentos para que o cochilo na minha cadeira fosse mais confortável.
 
Cochilar no trabalho é difícil. Passar do modo trabalho para o modo descanso pode demorar quase a totalidade dos 20 minutos. Depois de relaxar até quase dormir, de repente minha autoconsciência se despertou: e se eu parecer uma idiota enquanto estou dormindo?
 
E se eu começar a babar ou a roncar? Pensamentos sobre e-mails ou possíveis respostas de chefes que eu estou ignorando me impedem de relaxar. Em um dos dias, um editor me enviou mensagens de chat enquanto eu estava dormindo, o que me deixou mais paranoica em relação à ocorrência de incidentes similares durante os cochilos futuros. Às vezes soa algum telefone no escritório ou o celular vibra. E isso distrai.
 
Pouca efetividade:
 
Os acessórios ajudaram bloqueando o barulho e a luz e, em alguns casos, oferecendo um descanso para a cabeça, embora nem todos os produtos para cochilos tenham sido efetivos.
 
O Emergency Nap Kit (Kit de Emergência para Cochilos, em tradução livre), que vem com uma cama inflável e um saco de dormir de vestir, parecem mais um presente de inimigo secreto do que uma ferramenta real para descansar no trabalho.
 
O Ostrich Pillow, que viralizou há alguns anos, é um envoltório completo para a cabeça com um buraco para a respiração e parecia ser o mais promissor. Mas me senti sufocada e ficava com uma aparência ridícula.
 
O Wrap-A-Nap é uma máscara para os olhos glorificada. O NapAnywhere, um disco acolchoado que usa uma faixa para segurar a cabeça exige um processo de montagem de várias etapas e é uma espécie de versão piorada da almofada de pescoço dos aviões.
 
Nada foi confortável o bastante. Eu nunca consegui, de fato, dormir no trabalho. Contudo, ainda assim pude perceber os benefícios de simplesmente descansar os olhos durante 20 minutos. Depois que passou a sonolência inicial, eu me senti mais desperta e alerta.
 
Não melhorei em nada no trabalho, apenas me senti realmente acordada enquanto procrastinava durante as horas finais de trabalho. Se de fato eu tivesse caído no sono, talvez eu me sentiria mais criativa, produtiva e alerta.
 
“Não basta dizer às pessoas para tirarem cochilos no trabalho, você precisa oferecer a elas uma solução”, diz Lindholst.
 
“Nós defendemos que se tenha um espaço dedicado, onde o cochilo seja aceito e incentivado”. Isso vai além da sala de dormir — os empregadores precisam fazer com que os cochilos pareçam algo normal.
 
Exame.com
 
 
Para uma categoria profissional a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado!
Pense nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações disponibilizadas nesse Blog são de caráter genérico e sua utilização é de responsabilidade exclusiva de cada leitor.