Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

29 de novembro de 2015

Choque elétrico - DDS.

O fluxo da corrente é que causa danos ao organismo em caso de um choque elétrico. Quando uma pessoa se torna parte de um circuito elétrico, a severidade do choque é determinada por 3 fatores básicos:
 
A - A taxa do fluxo da amperagem que atravessa através do corpo;
 
b - O percurso da corrente através do corpo;
 
c - O tempo com que o corpo foi parte do circuito.
 
A eletricidade pode se deslocar somente quando há circuito completo. O choque pode ocorrer quando o corpo faz contato com ambos os fios de um circuito (o positivo e o neutro), um fio de circuito energizado e a terra, ou uma parte metálica de um dispositivo elétrico que tenha sido energizado.
 
As mulheres possuem menor resistência ao choque elétrico do que os homens, em função da constituição orgânica e de outros fatores tais como, condição física, a umidade da pele, podem determinar a quantidade de eletricidade que um corpo humano pode tolerar.
 
Infelizmente, o corpo humano não possui qualquer proteção interna contra o fluxo de corrente elétrica.
 
A superfície da pele fornece a maior parte da resistência ao fluxo da corrente, as peles secas possuem resistência razoavelmente alta, mas a pele úmida possui pouca resistência. Quando a resistência da pele é interrompida, a corrente flui facilmente através da corrente sanguínea e dos tecidos do corpo.
 
Qualquer que seja a proteção oferecida pela resistência da pele, diminui rapidamente esta resistência com o aumento da voltagem.
 
A morte ou ferimentos causados pelo choque elétrico podem resultar do seguinte:
 
Contração dos músculos peitorais, podendo interferir na respiração a tal ponto que resultará em morte por asfixia:
 
Paralisia temporária do sistema nervoso central, podendo causar parada respiratória, uma condição que frequentemente permanece mesmo depois da vítima ter sido desconectada da parte energizada;
 
Interferência do ritmo normal do coração, causando fibrilação cardíaca, uma condição na qual as fibras do músculo cardíaco, em vez de contraírem de maneira coordenada, contraem separadamente e em diferentes momentos. A circulação do sangue pára e ocorre a morte.
 
Parada cardíaca por contração muscular (em contato com alta corrente). Neste caso o coração pode reassumir seu ritmo normal quando a vitima é libertada do circuito;
 
Hemorragias e destruição dos tecidos, nervos e músculos do coração devido ao calor provocado pela alta corrente.
 
A Eletricidade não possui cor nem cheiro, todo o cuidado em seu manuseio e pouco, chame um eletricista para quaisquer reparos em circuito elétrico... É muito mais seguro, não corra riscos desnecessários.
 
 
Para uma categoria profissional a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado! 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações disponibilizadas nesse Blog são de caráter genérico e sua utilização é de responsabilidade exclusiva de cada leitor.