COMO SE PROTEGER DE RAIOS – DDS.


Milhares de pessoas são vítimas de raios todos os anos no Brasil e no mundo. Particularmente a região (Vale do Paraíba) tem um alto índice de ocorrência de raios. Então seguem alguns conselhos para se prevenir contra essa ameaça natural.
 
Se ouvir um trovão, é porque raios já estão caindo a sua volta, quanto menor for o tempo em que você escuta um trovão e vê um raio, mais próximo de você ele está. O trovão é o som produzido pelo raio ao aquecer rapidamente as partículas de ar a sua volta, produzindo uma violenta onda de choque.
 
Se estiver numa praia, vá para um abrigo seguro. A água do mar é salgada e boa condutora de eletricidade. Se estiver no campo, procure abrigo seguro. Raio é coisa séria.
 
O que fazer durante os raios:
 
Os raios causam a morte de cerca de 100 pessoas e ferimentos em 1000 pessoas por ano em no país. Sendo 25% desses números no estado de São Paulo. Assim, veja dicas de segurança.
 
IMPRESSIONANTE: Se você estiver em um local sem um abrigo próximo e sentir seus pelos arrepiados ou sua pele coçar é indício de que um raio está prestes a cair! Nesse momento, ajoelhe-se e curve-se para frente, colocando suas mãos nos joelhos e sua cabeça entre eles. Não deite no chão.
 
Não saia na rua ou não permaneça durante tempestades. Nesses casos, procure abrigo nos seguintes lugares:
 
Moradias ou prédios que possuem proteção contra relâmpagos; em abrigos subterrâneos, tais como metrôs ou túneis; em grandes construções.
 
Se estiver dentro de casa:
 
Não use o telefone, a não ser que seja sem fio; não fique próximo de tomadas e canos, janelas e portas metálicas; não toque em qualquer equipamento elétrico ligado à rede elétrica.
 
Se estiver na rua, evite:
 
Não se apoiar ou segurar objetos metálicos longos, tais como varas de pesca, tripés e tacos de golfe; empinar pipas e aeromodelos com fio; andar a cavalo; nadar.
 
Não vá aos seguintes lugares que possam oferecer pouca ou nenhuma proteção contra relâmpagos:
 
Pequenas construções não protegidas, tais como celeiros, tendas ou barracos; veículos sem capota, tais como tratores, motocicletas ou bicicletas; estacionar próximo a árvores ou linhas de energia elétrica; topos de morros; terraço de prédios; áreas abertas, campos de futebol ou golfe; estacionamentos abertos e quadras de tênis; proximidade de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos; proximidade de árvores isoladas; estruturas altas, tais como torres, linhas telefônicas e linhas de energia elétrica.
 
 
Para uma categoria profissional a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado!
 

Comentários

Postagens mais visitadas

O USO DO LEITE COMO DESINTOXICANTE NAS INDÚSTRIAS – DDS.

Fábula da xícara cheia – DDS de reflexão.

QUANTO CUSTA UM ACIDENTE? – DDS