Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

8 de junho de 2017

Você sabe o que é Stop Light


Desde Fevereiro de 1978, tenho realizado projetos para a viabilização do equipamento em referencia.

PB - Projeto básico, desenho e desenvolvimento do equipamento.

PE - Projeto executivo, construção de protótipo e teste.

Várias publicações sobre este projeto foram editadas no decorrer de anos, inclusive neste blog no ano de 2009, porém, faltou o registro de Patente que estou tomando conhecimento está sendo requerido por um grupo de pessoas que tomado conhecimento do projeto e vendo sua viabilidade, se prontificaram a registrar sem a devida anuência de seu verdadeiro idealizador conforme projetos, atitude considerada legal, porém no meu entendimento é imoral.

Justificativa e Objetivos do Stop light.

Atuar na prevenção de ocorrências de acidentes que acarretam milhares de vítimas fatais e/ou que se tornam deficientes físicos em função do chamado efeito chicote.

Stop light é um sistema que não interfere nos acessórios de fábricas já instalados nos veículos em circulação, objetiva, aumentar o tempo de reação e freagem do motorista que trafega na retaguarda, evitando dessa forma a colisão na traseira do veículo que vai a frente e consequentemente acidentes com vítimas fatais.

Stop Light chega para quadriplicar a percepção do condutor que vem na retaguarda, possibilitando antever as intenções de parar ou prosseguir do motorista que vai a frente.

Com o aumento crescente de nossa indústria automobilística, bem como o aumento de forma geométrica da estatística dos acidentes de trânsito, envolvendo passageiros indefesos, necessário se faz a obrigatoriedade de instalação do acessório Stop Light em todos os veículos em circulação e fabricados no Brasil.

Micro Suíte ou Sensor. Stop light é de fácil instalação, deverá ser posicionado no assoalho do veiculo sob o pedal do acelerador e será automaticamente acionado após o veiculo atingir velocidade médio de 40 km ou outra velocidade a pesquisar.

Funcionamento básico do stop light: O motorista (B) que vai a frente ao deparar com o perigo, necessita de tempo para decidir o que fazer: frear, desviar, etc., ao retirar o pé do acelerador de seu veículo até iniciar a freagem leva alguns segundos que ainda não foi percebido pelo motorista (A) que vem atrás.

O motorista (A) que vem atrás, só percebe que o motorista (B) que vai a frente tem intenção de parar quando a luz do freio acende e já está parando, é neste momento que inicia o tempo de reação e freagem do motorista (A) que vem atrás: o que fazer frear, desviar, etc., nunca dá tempo e acontece à colisão traseira, esse é o tempo de reação e freagem do motorista, que não tem tempo de executar os procedimentos que pretendia.

Distância de Parada: DR + DF = DP - Distância de Reação: É à distância percorrido pelo veículo, desde que o perigo é visto, até que você tome a atitude de frear.

DF - Distância de Freagem: É à distância percorrido pelo veículo desde o acionamento do freio, até parar.

DP - Distância de Parada: É à distância percorrida pelo veículo: desde percepção do perigo até a parada total.

Tempo de Parada: TR + TF = TMR - Tempo de Parada: é o tempo gasto depois de acionado o mecanismo do freio até parar totalmente o veículo.

TR - Tempo de Reação: é aquele que é gasto desde que o perigo é visto, até que o motorista tome qualquer providência (acionar o freio).

TF - Tempo de Frenagem: é o tempo gasto depois de acionado o mecanismo do freio até parar.

TMR - Tempo Médio de Reação: é o tempo de ¾ de segundo em estado normal que o motorista vê o perigo e toma uma atitude.

Concluindo:

Na minha concepção, não pelo fato de ter bolado o equipamento, mas pela importância que representará ao ser adotado objetivando a redução dos acidentes.

Diante das justificativas apresentadas, o aparelho stop light, é acessório indispensável nos automóveis brasileiros.

Marcio Santiago Vaitsman

7 de junho de 2017

Ambiente de trabalho – local de conflitos e desentendimentos que afetam as pessoas e a empresa.


O ambiente de trabalho para grande maioria das pessoas passou a ser considerado como o “ambiente familiar”. Muitos não se dão conta, mas cada vez mais as pessoas demandam a maior parte das horas do dia se relacionando com colegas do trabalho, clientes e fornecedores (dentro ou fora da organização).
Considerando ainda o tempo de deslocamento entre trabalho e residência e vice-versa, conclui-se que o tempo que passamos em casa é proporcionalmente irrisório, haja vista que do resto das horas do dia (ou noite) que estamos em casa ficamos, até para se recompor física e mentalmente, dormindo.

É uma rotina interminável e que se não for bem administrada, acaba por gerar um estado de desânimo, cansaço, insatisfação, falta de realização, que pode nos afetar diuturnamente, seja no desenvolvimento das atividades, no relacionamento com os colegas ou superiores e até em nossa saúde física e mental.

Os conflitos existentes no ambiente de trabalho, somados aos do ambiente familiar (casal, namoro, solidão, parentes), geram um alto grau de estresse, sendo este uma das principais causas de desentendimentos nas organizações.

Por vezes nos flagramos contendo aquela vontade de “rasgar o verbo” com algum colega, subordinado ou chefe, um palavrão que chega até a ponta dos lábios, mas num movimento quase inconsciente de defesa, aquela ofensa volta a repousar em nossa mente, deixando a emoção e resgatando a razão para resolver a situação.

Antes de qualquer conclusão precipitada sobre o comportamento e atitudes dos outros, precisamos estar cientes de que somos seres humanos, sujeitos a erros e acertos, a transformações de pensamentos e comportamentos, mudanças estas que fazem parte do próprio relacionamento interpessoal.

Se por um lado parece insustentável permanecer num ambiente em que todos parecem estar contra você, por outro encarar as dificuldades e desentendimentos de frente pode ser uma importante ferramenta para se autopromover, ora por demonstrar que está pronto para lidar com conflitos frente aos colegas, ora por usar habilidades e solucionar problemas que o coloca em posição de assumir maiores responsabilidades na hierarquia da empresa.

Não pense que a solução seja fugir destes conflitos. Qualquer ambiente organizacional é formado por conflitos, interesses pessoais ou coletivos que impulsionam os profissionais a fazer ou deixar de fazer alguma coisa. Ficar pulando de galho em galho na busca da empresa sem conflitos irá demonstrar, na verdade, que possui dificuldade de adaptação, pouca flexibilidade e dificuldade em relacionamento. Em que pese haja empresas com um ótimo clima organizacional, tenha certeza de uma coisa, não há empresa sem conflitos.

Noutro vértice está a atitude da empresa em buscar detectar tais conflitos, se utilizar de ferramentas disponíveis no mercado de modo a fazer com que o impacto destes supostos desentendimentos seja o menor possível. Convergir as competências e habilidades profissionais das pessoas para um único objetivo (lucro) é o papel dos Gestores e da companhia.

Entretanto, este objetivo não deve ser a todo custo onde o fim justifique os meios. Este processo deve ser de forma harmoniosa e com reciprocidade (onde todos ganham), como a fonte da sustentabilidade para o atingimento das metas.

Embora pareça um desatino, o conflito é necessário. É como as dificuldades que atravessamos em nossa vida pessoal. Daí é que surgem novas ideias, novas formas para solução de problemas, nova visão daquilo que se busca pessoal e profissionalmente.

A busca por uma eventual vaga que um dia irá surgir na organização não deixa de ser um conflito, sadio claro, onde dois ou mais profissionais estão se esforçando, se dedicando, se empenhando para conseguir a vaga. Este esforço conjunto, ainda que se possa entender como uma “briga” interna, retrata na prática, ações conjuntas de maior produtividade.

A grande dificuldade que as empresas encontram é justamente o equilíbrio entre um ambiente de conflito sadio e o ambiente negativo, de “guerra”, onde interesses pessoais sobrepõem o interesse da companhia. São estas situações que exigem uma intervenção de uma equipe (RH, consultores internos ou externos) que possam identificar e restabelecer um ambiente organizacional equilibrado, voltado a missão, visão e valores da organização.

Guia Trabalhista. 






3 de junho de 2017

UMA PARABOLA PARA REFLETIR.


Certa vez um vagalume chamado Spai, voava pela floresta e, como de costume, ele percorria determinado caminho para ir para casa.

No meio do caminho Spai notou a presença de outro animal, porém não deu muita atenção, pois se tratava de uma cobra, um bicho que nunca o incomodara.

Então, Spai continuou a voar e percebeu que a cobra começou a segui-lo. Quanto mais rápido Spai voava, mais rápido a cobra o seguia.

E em determinado momento Spai cansou-se de voar em alta velocidade e, vendo que a cobra estava cada vez mais perto, resolveu parar e enfrentar a sua desafiante.

A cobra demonstrava raiva e deixava clara a intenção de devorá-lo simplesmente. Então, Spai que já estava muito cansado e vendo que seria devorado pela cobra, pediu um minutinho antes do ataque e perguntou:

- Por que tu me segues?

Porque tu queres me matar?

A cobra respondeu:

- Não sei.

Spai então falou:

- Eu nem faço parte da sua cadeia alimentar. Eu não te fiz nada.

Spai, mesmo assim, vendo que seria devorado, lhe fez a última pergunta:

- Afinal de contas, por que tu queres acabar comigo?

Por que me seguiste e agora queres me matar?

A cobra enfim respondeu:

- Ora vagalume, eu odeio ver alguém brilhar na minha frente.

E, quando a cobra foi atacá-lo, Spai apagou a sua luz por um momento e conseguiu esconder-se da cobra invejosa.

Spai tomou outra direção e sobreviveu, mas teve que apagar seu brilho por instantes.

Entre os humanos também é assim: Tem gente que não suporta ver os outros brilharem.