Estrados e paletes - DDS.


O manuseio de estrados e de paletes vazios pode parecer, para a maioria de vocês, apenas mais um trabalho de rotina, pelo menos no que diz respeito à segurança. Não se deixe enganar. Esse tipo de trabalho pode causar acidentes facilmente, se os cuidados de segurança não forem tomados.
 
O manuseio de materiais causa mais acidentes do que qualquer outro tipo de trabalho. O içamento representa a principal situação em que ocorrem acidentes. Naturalmente, o içamento é uma manobra básica no manuseio de estrados e paletes.
 
Vamos repassar alguns dos passos que podemos tomar para manter a frequência de acidentes no mínimo nessa atividade.
 
Primeiro, inspecione os estrados e paletes com os quais você vai trabalhar, quanto a pregos soltos e outros defeitos.
 
Se você encontrar uma unidade insegura, deixe-a de lado e marque-a para jogar fora ou reparar. Levante materiais com cuidado.
 
O empilhamento ou o descarte de estrados geralmente requer duas pessoas. Estas devem executar esta tarefa de maneira coordenada, como se fossem uma só pessoa. Use o mesmo procedimento para levantar paletes que sejam pesados ou robustos.
 
Levante-os dobrando seus joelhos e esticando as pernas.
 
Mantenha suas costas retas e use os músculos das pernas, não os músculos das costas, e como medida de segurança adicional enquanto manuseia objetos, use o equipamento de proteção correto.
 
Luvas de couro protegerão suas mãos e, naturalmente, calçados de segurança protegerão seus pés.
 
Provavelmente, você já percebeu o quanto é importante uma área de trabalho limpa para a sua segurança e para a segurança dos outros.
 
O mesmo se aplica ao caso dos estrados e paletes.
 
Empilhe-os com cuidado, de forma que as pilhas sejam estáveis. As pilhas devem ter uma altura limitada de aproximadamente 1,20m e as unidades devem ficar planas e nunca empilhadas pelas extremidades.
 
As pilhas e unidades individuais devem ser mantidas afastadas de corredores, passagens e portas e não devem obstruir caixas ou painéis elétricos, extintores de incêndio e outros equipamentos de segurança, assim sendo, evite caminhar ou pisar sobre os estrados e paletes, pois isso pode facilmente causar um acidente.
 
Quando empilhar unidades, considere a capacidade de peso do piso. Certifique-se também de avaliar a resistência das unidades com as quais você está trabalhando, para que não seja excedida.
 
Se você estiver trabalhando com papelão, considere sua menor resistência, que o tomaria mais difícil de danificar do que se fosse de madeira. Além disto, ele absorverá mais umidade, o que pode enfraquecê-lo.
 
Os estrados e paletes podem parecer resistentes, mas quando você os deixa cair, eles podem enfraquecer. A queda de estrados e de paletes também provoca muito barulho.
 
Algumas vezes, são usadas plataformas e estrados de arrasto separados.
 
Neste caso, as plataformas devem ser empilhadas retas numa prateleira com altura inferior ao equivalente a 32 unidades.
 
Novamente, tome cuidado quando remover as plataformas da prateleira. Coloque um trabalhador em cada lado. Pode ser necessário jogar fora certas unidades. Neste caso, use caminhões ou pick-ups, especialmente se a carga precisar ser movimentada, qualquer que seja a distância.
 
As cargas das unidades a serem descartadas devem ser empilhadas cuidadosamente. Esteja alerta quanto a pregos e lascas. Se você for se desfazer das unidades queimando-as, observe todo o fogo e a regras de segurança.
 
Abordamos aqui alguns dos itens principais de segurança no manuseio de estrados e paletes vazios. Eles são todos essenciais - os cuidados que devem ser tomados em muitos trabalhos.
 
Porém, esta é a maneira que deve ser quando se trata de segurança.
 
Desenvolva práticas e atitudes seguras no trabalho, que os resultados serão obtidos em tudo que você fizer e evite acidentes.
 
 
Para uma categoria profissional a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado!

Comentários

Postagens mais visitadas

O USO DO LEITE COMO DESINTOXICANTE NAS INDÚSTRIAS – DDS.

Fábula da xícara cheia – DDS de reflexão.

QUANTO CUSTA UM ACIDENTE? – DDS