Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

4 de maio de 2015

Acidente do trabalho em domicílio – O trabalhador também deve saber isso.


Devido a certas características do trabalho em domicílio, é comum o empregador ter dúvida sobre se o acidente sofrido pelo trabalhador em sua residência pode ser considerado como acidente de trabalho.
 
Recentemente a Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) confirmou decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região que considerou o acidente sofrido por uma empregada dentro de sua residência como de trabalho e, por conseqüência, reconheceu o direito da reclamante à estabilidade prevista no art. 118 da Lei nº 8.213/91.
 
O entendimento externado no acórdão regional, citado pelo TST, foi no sentido de que a Lei 8.213/91 “deixa claro que o acidente de trabalho é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho, independentemente do local em que é executado, e que cause, no mínimo, redução temporária da capacidade do trabalhador. "No caso, é perfeitamente possível reconhecer a casa como local do seu trabalho, haja vista que ali executava funções relacionadas com seu emprego", assinalou o TRT.
 
"Entender o contrário estar-se-ia desprotegendo, por exemplo, aquele que trabalha no seu próprio domicílio, modalidade largamente adotada por várias empresas" (reprodução de notícia veiculada pelo TST em seu site na Internet, acessado em 30.04.2015).
 
O conceito legal de acidente do trabalho está definido no art. 19 da Lei 8.213/91, nos seguintes termos “Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do artigo 11 desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho”.
 
O que irá configurar o acidente do trabalho é a relação de causa e efeito entre o trabalho realizado pelo empregado e o acidente, não sendo necessário que este ocorra nas dependências do estabelecimento do empregador.
 
Portanto, independentemente do local onde o acidente ocorre, se o empregado estiver executando serviço a mando do empregador, caracteriza-se como acidente do trabalho.
 
Em se tratando de trabalho em domicílio, que é aquele executado na habitação do empregado, por conta de empregador que o remunere (art. 83 da CLT), o art. 6º da CLT deixa claro que não há distinção entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador e o executado no domicílio do empregado, a significar que o trabalhador que executa o trabalho na sua casa deve ter a mesma proteção do que aquele que trabalha dentro da empresa.
 
Assim, o acidente sofrido pelo empregado nas dependências de sua residência pode ser caracterizado como acidente do trabalho, desde que a sua casa seja o seu local de trabalho e o acidente ocorra quando estiver desempenhando atividade laboral a mando do empregador, caso contrário será considerado como mero acidente doméstico.
 
Isto porque se o local da prestação de serviços do empregado é no estabelecimento do empregador, o acidente ocorrido dentro da sua residência não se caracteriza como acidente do trabalho, nem mesmo que ocorra quando de sua saída para o trabalho.
 
Tampouco, pode ser reconhecido como acidente de trajeto, que é considerado como acidente do trabalho por equiparação. Acidente de trajeto é aquele ocorre no percurso habitual entre a residência do trabalhador e o local da prestação de serviço, ou vice-versa (art. 21, IV, da Lei 8.213/91).
 
Há outro aspecto a se considerar no acidente de trajeto: o acidente precisa ocorrer no percurso entre a calçada (via pública) em frente a casa do trabalhador até o estabelecimento do empregador, uma vez que o ente segurador não tem responsabilidade sobre o que se verifica na casa do trabalhador, que é um espaço físico por este controlado.
 
Se o acidente não é de trabalho, o trabalhador não terá direito a estabilidade prevista no art. 118 da Lei 8.213/91.
 
Última Instância.
 
 
“Prevencionista, se você gostou participe, este blog é seu, seja um seguidor e compartilhe com seus amigos e um dia verá que essa sua atitude fez parte da sua história”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações disponibilizadas nesse Blog são de caráter genérico e sua utilização é de responsabilidade exclusiva de cada leitor.