Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

31 de maio de 2011

É PROIBIDO FUMAR – DDS.


Hoje 31 de maio, é comemorado o  “Dia Mundial sem Tabaco.

No Brasil, desde 16 de julho de 1996 (Decreto número nº 9.294) é proibido fumar em recintos coletivos, privados ou públicos, salvo em locais especialmente criados para este fim, desde que sejam isolados e arejados convenientemente.

Está proibição inclui recintos cobertos e alguns locais de uso comum, portanto, na prática  já  é  proibido  fumar em ambientes fechados e de uso coletivo no Brasil.

O que era uma decisão baseada no bom senso ou na política de cada empresa virou lei federal.

O seu prazer de fumar pode estar sendo compartilhado por outras pessoas que chamamos de fumante passivo.

Dentro das dependências da maioria das empresas é proibido fumar, mas, para algumas ainda é permitido desde de que em locais demarcado para este fim.

Embora existam inúmeros dados científicos, que comprovam os diversos malefícios do tabaco sobre o organismo humano e o meio ambiente, as pessoas continuam fumando, apenas quero lamentar estar incluído entre eles.


.
RESPEITE A LEI E INFORME-SE SOBRE O LOCAL E AS CONDIÇÕES PERMITIDAS PARA FUMAR.






OLHE POR ONDE VOCÊ ANDA – DDS.


Você já reparou quanta gente anda desligada pelas ruas da cidade e até mesmo no interior das indústrias?

Já reparou também que aqui na empresa, mesmo havendo bastante orientações sobre segurança, ainda existem pessoas que atravessam ruas sem olhar para os lados;  sem olhar para onde estão pisando e sem olhar para frente.

Existem pessoas que caminham embaixo de cargas suspensas, passam por baixo de montagem de andaime etc., ficam ao lado de soldador vendo corte com maçarico, soldas elétricas e esmerilhamento, etc.

Não faça parte do grupo dos idiotas que sempre dizem: “Faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”, porque as pessoas que assim estão agindo não respeitam a própria vida.

Se não respeitam a própria vida vão respeitar a vida de quem!

O ser humano foi dotado da incrível capacidade de pensar e, por isto mesmo temos que exercitar esta capacidade o tempo todo!

Verifique, estude antecipadamente o trabalho que você vai realizar, mantenha o local de trabalho organizado, sinalizado, isolado e limpo.

Olhe por onde você anda, pense e  mantenha-se vivo e saudável.


ESTEJA SEMPRE ATENTO AOS AVISOS E LEMBRETES DE SEGURANÇA.

30 de maio de 2011

ANDAIMES – DDS.


Todos os trabalhos em altura, mesmo os de caráter emergencial, devem ser planejados antes de serem realizados, para evitar improvisações desastrosas.

Um trabalho em altura seguro deve ser feito sobre andaimes seguros:

Tambores, cavaletes, baldes de tintas, latas, tijolos e assemelhados não são superfícies seguras de trabalho e, portanto, não devem ser usados.

Não se esqueça de providenciar os recursos básicos de proteção para montagem de  andaime:

Monte o andaime sobre uma superfície sólida, limpa e nivelada;

Os andaimes deverão ser providos de sapatas;

Os andaimes deverão ter um guarda-corpo para proteger contra quedas acidentais de pessoas;

Os andaimes deverão ter um rodapé de proteção para evitar queda de ferramentas, objetos e materiais;

Os pranchões deverão ficar unidos, sem frestas entre eles e cobrir todo o piso do andaime (não poderá ter “buracos ou nós na madeira do piso do andaime”);

Todos os pranchões deverão estar amarrados ou travados nas duas extremidades;

O acesso a um andaime só poderá ser feito por escada, e não pela estrutura do mesmo;

É obrigatório o uso do cinto de segurança do tipo pára-quedista com talabarte duplo para trabalhos em andaimes;

Andaimes com altura superior a 3 metros deverão dispor de contraventamento ou estaiamento;

Andaimes sobre rodas devem ser fixados e travados durante a sua utilização para evitar deslocamentos acidentais ou o balanço de sua estrutura;

Cessado o uso do andaime, desmonte-o imediatamente e guarde seus componentes.


É proibido o uso de madeirite ou madeira de embalagens no piso de andaimes, somente o pranchão de no mínimo 2” de espessura é o tipo apropriado.

Pense nisso antes de realizar serviços sobre andaime.  

29 de maio de 2011

Compartilhe esse BLOG com seus amigos também.


Onde os profissionais da prevenção obtêm informação atualizada sobre a profissão?

Quando necessitamos de uma informação sobre a classe prevencionista, muitas vezes não temos a quem recorrer, então perguntamos a vários Técnicos Especialistas em Segurança como tiram suas dúvidas que não podem esperar.

SEJA UM SEGUIDOR E COMPARTILHE O BLOG  http: //www. conselhoeseguranca. com  COM SEUS AMIGOS TAMBÉM.

FERRAMENTAS MANUAIS – DDS.


As ferramentas manuais deverão ser usadas para os propósitos para os quais elas foram fabricadas e, deverão ser inspecionadas periodicamente para se verificar se elas não apresentam defeitos.

A ferramenta que apresentar algum tipo de defeito deverá ser identificada como “SEM CONDIÇÕES DE USO” e deverá ser devolvida para a ferramentaria que providenciará os reparos e trocas necessários.

As ferramentas que apresentarem depressões, trincas, rachaduras, cabeças deformadas (em forma de cogumelo), cabos frouxos, soltos ou inexistentes, folgas, lascas e desgastes não deverão der usadas.

Os punções e ponteiros com a cabeça deformada, ou seja, em forma de cogumelo, soltam lascas quando golpeados pela marreta e podem ferir seus olhos e suas mãos.

Esmerilhe as pequenas rebarbas das pontas.

NUNCA IMPROVISE:

Não use ferramentas em mau estado de conservação ou funcionamento.

Devolva a ferramentaria as ferramentas que não estiverem em bom estado.

Existe sempre uma ferramenta adequada para cada tipo de trabalho.

Agindo dessa forma, você estará evitando acidentes graves.

A segurança depende de você!.

28 de maio de 2011

Banco de empregos - Técnico em Segurança do Trabalho.


Oportunidade para o pessoal da prevenção:


ONG ESPORTE VIDA contrata Técnicos de Segurança do Trabalho para trabalhar na obra do Pólo Petroquímico em Itaboraí – RJ.

Contato somente por e-mail, são 250 vagas disponíveis.

Enviar currículo para ong.esportevida@ig.com.br Informando no assunto do email o cargo pretendido.

Pode ainda levar o currículum-Vitae impresso diretamente na sede da Ong. Esporte Vida, na Rua Cândido Benício nº 1585 - Praça Seca – Jacarepaguá/RJ. No sábado o horário é entre 10:00 às 14:00h.


Boa Sorte.

27 de maio de 2011

Teletrabalho: alternativa ou problema ?

Nunca foi tão comentada a questão de teletrabalho como nos dias de hoje. Mas muitos devem estar se perguntando: o que é isso? 

Teletrabalho nada mais é do que trabalhar de casa, sem que o colaborador tenha a necessidade de ir todos os dias (ou nunca) para o escritório central da empresa. 

Mas, toda novidade,  traz vantagens e desvantagens para ambos os lados.

O teletrabalho como: trabalho realizado à distância, fora da empresa, podendo ser executado da residência do trabalhador; envolve recurso a tecnologias de informação e comunicação; e, em regra geral, diz respeito a trabalhadores subordinados da empresa que em certo momento adotam essa modalidade de trabalho. Ou seja, o teletrabalhador é a pessoa física que, utilizando as novas tecnologias disponíveis atualmente, pode desenvolver seu laboro fora do escritório. 

O primeiro ponto a ser analisado nestes casos é o contrato. Como ele pode admitir questões de natureza civil, comercial e trabalhista, o teletrabalho tem um contrato misto, vinculada ao conteúdo obrigacional da prestação. 

Em relação aos aspectos trabalhistas, o contrato de um teletrabalhador tem que possuir diversos aspectos, como possuir condições bem definidas contratualmente; controle da jornada de trabalho; horas extras; instalação de equipamentos; condições ergonômicas, dentre outros.

As primeiras experiências com trabalho remoto datam o século XIX, com o telégrafo (1837) e o código Morse, que se associaram aos movimentos eletromagnéticos. Mas foi com o aperfeiçoamento dos meios telegráficos – telefone, rádio e a televisão que tornou esta modalidade de trabalho possível. 

O conceito de teletrabalho veio mesmo na década de 1950 – um arquiteto, que estava na Europa, supervisionava a construção de um imóvel nos Estados Unidos utilizando um fax. 

Atualmente, o grande avanço da telecomunicação, principalmente da internet, favorece este tipo de trabalho. Mas, como tudo, traz vantagens e desvantagens para empresa e colaborador.

Para as empresas há muitas vantagens, como redução de custos fixos das empresas; aumento da produtividade do trabalhador; possibilidade de contratação de trabalhadores especializados em locais distantes, sem custos e transtornos adicionais com transferências; redução de custos com acidentes de trabalho em trânsito; redução de custos com vales-transportes, auxílio-combustível e estacionamento; dentre outros. 

Mas também há as suas desvantagens, como dificuldade de gerenciar a distância; temor dos gestores de perder status de chefia; necessidade de conhecimento sobre o assunto; dentre outros.

Para o trabalhador também há estes dois lados.

As vantagens são: maior acesso das pessoas portadoras de deficiência às oportunidades de trabalho; aumento da segurança e redução dos atos de violência criminosa; melhoria da saúde física e mental; melhoria da qualidade de vida; recuperação e fortalecimento das relações familiares e sociais; redução de custos pessoais dos trabalhadores; fortalecimento do poder aquisitivo do trabalhador; dentre outros.

Já as desvantagens são: redução do convívio social presencial diário com colegas de trabalho; temor do trabalhador de perda de status; temor do trabalhador de ter menores chances de promoção; dentre outros.

Até o meio ambiente está envolvido com este tipo de trabalho. A redução do nível de poluição das grandes cidades; o arrefecimento do trânsito sobrecarregado; melhoria da qualidade dos serviços de transporte público; redução das possibilidades de contaminação por doenças infecto-contagiosas; reduções na climatização dos ambientes; dentre outros, são alguns benefícios que o teletrabalho pode proporcionar para toda sociedade.

O teletrabalho hoje é uma solução para diversos problemas econômicos, sociais e ambientais não apenas do Brasil, mas sim do mundo. 

Não são em todos os tipos de trabalho, que se pode agir desta maneira. Por isso, temos que dar uma maior atenção para este tipo de labor e, caso seja possível, é importante que as duas partes – empresa e colaborador – avaliem se é interessante aplicar.



Empresas e Negócios.

Portaria SIT nº 229/2011- Sinalização de segurança nas empresas deve observar novas regras.

As cores utilizadas para segurança em estabelecimentos ou locais de trabalho, a fim de indicar e advertir sobre riscos existentes, identificar equipamentos de segurança, delimitar áreas, identificar tubulações empregadas para a condução de líquidos e gases, devem atender ao disposto nas normas técnicas oficiais. 

Anteriormente, o Ministério do Trabalho e Emprego fixava a cor a ser empregada em cada situação.

Veja na ìntegra clicando no link abaixo.
Informação Objetivas.

26 de maio de 2011

Portaria altera Norma Regulamentadora nº 25


SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO
PORTARIA N.º 227, DE 24 DE MAIO DE 2011

(DOU de 26/05/2011 Seção I pág. 107)

Altera a Norma Regulamentadora n.º 25.


A SECRETÁRIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO, no uso das atribuições conferidas pelo art. 14, inciso II, do Anexo I do Decreto n.º 5.063, de 3 de maio de 2004, e em face do disposto nos art. 155 e 200 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto n.º 5.452, de 1º de maio de 1943 e no art. 2º da Portaria MTb n.º 3.214, de 8 de junho de 1978, resolve:


Art. 1º Alterar a Norma Regulamentadora n.º 25 (Resíduos Industriais), aprovada pela Portaria MTb n.º 3.214, de 8 de junho de 1978, que passa a vigorar com a redação constante do Anexo desta Portaria.


Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data da sua publicação.


VERA LÚCIA RIBEIRO DE ALBUQUERQUE


ANEXO

NORMA REGULAMENTADORA N.º 25 - RESÍDUOS INDUSTRIAIS


25.1 Entende-se como resíduos industriais aqueles provenientes dos processos industriais, na forma sólida, líquida ou gasosa ou combinação dessas, e que por suas características físicas, químicas ou microbiológicas não se assemelham aos resíduos domésticos, como cinzas, lodos, óleos, materiais alcalinos ou ácidos, escórias, poeiras, borras, substâncias lixiviadas e aqueles gerados em equipamentos e instalações de controle de poluição, bem como demais efluentes líquidos e emissões gasosas contaminantes atmosféricos.

25.2 A empresa deve buscar a redução da geração de resíduos por meio da adoção das melhores práticas tecnológicas e organizacionais disponíveis.

25.3 Os resíduos industriais devem ser eliminados dos locais de trabalho através de métodos, equipamentos ou medidas adequados, sendo proibido o lançamento ou a liberação no ambiente de trabalho de quaisquer contaminantes que possam comprometer a segurança e saúde dos trabalhadores, sob a forma de matéria ou energia, direta ou indiretamente.

25.3.1 As medidas, métodos, equipamentos ou dispositivos de controle do lançamento ou liberação dos contaminantes gasosos, líquidos e sólidos devem ser submetidos ao exame e à aprovação dos órgãos competentes.

25.3.2 Os resíduos líquidos e sólidos produzidos por processos e operações industriais devem ser adequadamente coletados, acondicionados, armazenados, transportados, tratados e encaminhados à adequada disposição final pela empresa.

25.3.2.1. Em cada uma das etapas citadas no subitem

25.3.2 a empresa deve desenvolver ações de controle, de forma a evitar risco à segurança e saúde dos trabalhadores.

25.3.3 Os resíduos sólidos e líquidos de alta toxicidade, periculosidade, os de alto risco biológico e os resíduos radiativos devem ser dispostos com o conhecimento, aquiescência e auxílio de entidades especializadas/públicas e no campo de sua competência.

25.4 A empresa deve atender todos os critérios de potabilidade para a água fornecida aos trabalhadores e utilizada para ingestão, preparo de alimentos e higiene corporal.

25.5 Os trabalhadores envolvidos em atividades de coleta, manipulação, acondicionamento, armazenamento, transporte, tratamento e disposição de resíduos devem ser capacitados pela empresa, de forma continuada, sobre os riscos envolvidos e as medidas de eliminação e controle adequado dos mesmos.

LEI Nº 12.408,


Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 12.408, DE 25 DE MAIO DE 2011.

Altera o art. 65 da Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, para descriminalizar o ato de grafitar, e dispõe sobre a proibição de comercialização de tintas em embalagens do tipo aerossol a menores de 18 (dezoito) anos.


A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: 

Art. 1o  Esta Lei altera o art. 65 da Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, dispondo sobre a proibição de comercialização de tintas em embalagens do tipo aerossol a menores de 18 (dezoito) anos, e dá outras providências. 

Art. 2o  Fica proibida a comercialização de tintas em embalagens do tipo aerossol em todo o território nacional a menores de 18 (dezoito) anos. 

Art. 3o  O material citado no art. 2o desta Lei só poderá ser vendido a maiores de 18 (dezoito) anos, mediante apresentação de documento de identidade. 

Parágrafo único.  Toda nota fiscal lançada sobre a venda desse produto deve possuir identificação do comprador. 

Art. 4o  As embalagens dos produtos citados no art. 2o desta Lei deverão conter, de forma legível e destacada, as expressões “PICHAÇÃO É CRIME (ART. 65 DA LEI Nº 9.605/98). PROIBIDA A VENDA A MENORES DE 18 ANOS.” 

Art. 5o  Independentemente de outras cominações legais, o descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às sanções previstas no art. 72 da Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. 

Art. 6o  O art. 65 da Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, passa a vigorar com a seguinte redação: 

“Art. 65.  Pichar ou por outro meio conspurcar edificação ou monumento urbano:  Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa. 

§ 1o  Se o ato for realizado em monumento ou coisa tombada em virtude do seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena é de 6 (seis) meses a 1 (um) ano de detenção e multa. 

§ 2o  Não constitui crime a prática de grafite realizada com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado mediante manifestação artística, desde que consentida pelo proprietário e, quando couber, pelo locatário ou arrendatário do bem privado e, no caso de bem público, com a autorização do órgão competente e a observância das posturas municipais e das normas editadas pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional.” (NR).

Art. 7o  Os fabricantes, importadores ou distribuidores dos produtos terão um prazo de 180 (cento e oitenta) dias, após a regulamentação desta Lei, para fazer as alterações nas embalagens mencionadas no art. 2o desta Lei. 

Art. 8o  Os produtos envasados dentro do prazo constante no art. 7o desta Lei poderão permanecer com seus rótulos sem as modificações aqui estabelecidas, podendo ser comercializados até o final do prazo de sua validade. 

Art. 9o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 

Brasília, 25 de maio de 2011; 190o da Independência e 123o da República. 

DILMA ROUSSEFF

José Eduardo Cardozo
 Fernando Damata Pimentel
Izabella Mônica Vieira Teixeira
Anna Maria Buarque de Hollanda

25 de maio de 2011

OPERAÇÃO COM GUINDASTE MÓVEL – Plano de RIGGING - DDS.

A grande maioria dos acidentes envolvendo os guindastes é provocada por trabalhadores embaixo ou próximos a cargas suspensas, quando as mesmas caem devido à amarração, ganchos e estropos inseguros.

Os cabos e os prendedores devem ser examinados diariamente e inspecionados completamente pelo menos uma vez por semana e mais freqüentemente ao aproximar de sua vida útil. O número de arames quebrados, a quantidade de desgastes dos arames externos e a evidência de corrosão são indicadores.

Se um cabo de 6 por 19 tiver seis arames partidos numa perna, esta seção de cabo estará seriamente comprometida.

Os ganchos deterioram devido à fadiga e a má prática de içar a carga em um ponto, o que faz com que o gancho se abra. Se você encontrar um gancho nestas condições, substitua-o. 

Um gancho giratório minimiza o esforço e o desgaste provocado pelo giro da carga durante um içamento.

Um gancho de segurança possui um trinco que impede o estropo de cair.

A operação de um sistema de guindar em terreno macio ou inclinado é perigosa. 

O guindaste deve estar sempre nivelado antes de ser colocado em operação. 

As sapatas de apoio dão uma estabilidade confiável somente quando usadas em terreno firme.

A sobrecarga é uma causa freqüente de acidentes sérios, como o tombamento, colapso da lança e falha de cabos. 

Todos os fabricantes estabelecem os limites de carga de segurança para diferentes ângulos de inclinação da lança. 

Os limites especificados na tabela de carga nunca devem ser excedidos, além das instruções de operações que devem ser seguidas.

Antes de sair do guindaste, por qualquer razão, aplique os freios, calce as rodas, trave a lança e coloque as alavancas e controle na posição neutro.

Observe antes de iniciar os trabalhos as condições do terreno, inclinações e posicionamento do guindaste em relação à fiação elétrica aérea.

Nunca movimento uma carga sem o plano de rigging.

O plano de rigging deve ser elaborado por um profissional capacitado, incluindo a memória de cálculo, os projetos de dispositivos, os desenhos demonstrativos de todas as fases de içamento, as posições mais críticas e as folgas previstas em relação às interferências. 

No plano de Rigging deve constar as seguintes informações técnicas:

Configuração do guindaste; Velocidade do vento; força exercida na sapata; Porcentagem de utilização do guindaste; Layout completo da operação; Identificação do guindaste; Relação de eslingas e acessórios.

24 de maio de 2011

Cavando um buraco – Pura reflexão de auto-ajuda.


Dois irmãos decidiram cavar um buraco bem profundo atrás de sua casa. 

Enquanto estavam trabalhando, dois outros meninos pararam por perto para observar.

. O que vocês estão fazendo? - perguntou um dos visitantes.

. Nós estamos cavando um buraco para sair do outro lado da terra! 

. Um dos irmãos respondeu entusiasmado. 

Os outros meninos começaram a rir, dizendo aos irmãos que cavar um buraco que atravessasse toda a terra era impossível. 

Após um longo silêncio, um dos escavadores pegou um frasco completamente cheio de pequenos insetos e pedras valiosas. Ele removeu a tampa e mostrou o maravilhoso conteúdo aos visitantes gozadores.

Então ele disse confiante,

. Mesmo que nós não cavemos por completo a terra, olha o que nós encontramos ao longo do caminho! 

Seu objetivo era por demais ambicioso, mas fez com que escavassem. E é para isso que servem os objetivos: fazer com que nos movamos em direção de nossas escolhas, ou seja, começarmos a escavar! 

Mas nem todo objetivo será alcançado inteiramente.

Nem todo trabalho terminará com sucesso.

Nem todo relacionamento resistirá. 

Nem todo amor durará. 

Nem todo esforço será completo. 

Nem todo sonho será realizado. 

Mas quando você não atingir o seu alvo, talvez você possa dizer, 

. Sim, mas vejam o que eu encontrei ao longo do caminho! Vejam as coisas maravilhosas que surgiram em minha vida porque eu tentei fazer algo! 

É no trabalho de escavar que a vida é vivida.

E, afinal, é a alegria da viagem que realmente importa! 

Escrito por Ana Silva.

23 de maio de 2011

Segurança do trabalho... Não adianta reclamar! Tem que fazer a coisa acontecer!

Recebi no meu e-mail e como achei interessante, repasso na integra aos leitores do blog.  

Por quê? Porque os profissionais de segurança do trabalho são tidos como os chatos nas empresas? Por que a maioria das empresas não aplica sistemas de gestão de segurança e, só cumprem tabela porque é uma exigência legal? Por que é tão difícil tratar desse assunto que deveria estar naturalmente inserido nos processos administrativos, produtivos e de serviços das empresas? Afinal... Por que as pessoas trabalham despreocupadas e expostas aos riscos e perigos no desenvolvimento de suas atividades? Por que operários, lideranças, chefias, gestores e diretores fazem vista grossa, ou melhor, são negligentes no dia a dia?

Com certeza, como a maioria das respostas para essas perguntas são negativas, os índices de acidentes e doenças ocupacionais são tão altos no Brasil.

Sinceramente, imaginem se o uso do cinto de segurança nos automóveis não fosse obrigatório? Ou, se ingerir bebida alcoólica e dirigir fosse liberado? Acredito que hoje, até os que se opunham inicialmente, não aceitariam mais esses retrocessos... Não acham?

Com certeza, para vivermos em uma democracia e em plena harmonia dentre todas as divergências, nossas civilizações instituíram as Leis, ou seja: Regras para a coexistência entre pessoas, então, imaginemos se a ONU - Organização das Nações Unidas, através da OIT – Organização Internacional do Trabalho, “não existissem”... Com certeza, muito do que as civilizações contemporâneas / modernas, não teriam evoluído civilizadamente como o são hoje, obviamente temos muito que melhorar ainda...

Hoje em pleno século XXI, nos deparamos em diversas partes do mundo, com a escravidão de seres humanos, ou se não, com trabalhadores subjugados, remunerados apenas para as suas subsistências básicas e sem nenhuma perspectiva de melhoria de vida proporcionada pelos seus Governos e empresariado, tendo como exemplo a China, Índia, outros países asiáticos, africanos, na Europa Oriental, nas Américas e principalmente, no nosso querido Brasil, não se enganem, não se assustem... No Brasil, também existem casos confirmados de escravidão de seres humanos, inclusive já constatado nos grandes centros da região Sudeste... Que vergonha!

O prevencionista da segurança e medicina do trabalho: engenheiros de segurança e médicos do trabalho, enfermeiros do trabalho, técnicos de segurança do trabalho e técnicos/auxiliares de enfermagem do trabalho, são os profissionais determinados pelas Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego de nosso país (NR 4 ou 31), que devem atuar como os mantenedores dos preceitos legais e humanitários, são profissionais que devem ser tratados como consultores/ assessores internos de suas empresas, assim como os contadores, administradores, advogados e outros profissionais, são eles que alertam o empregador quando está irregular ou em não conformidade com as exigências legais.

Pergunto: Qual a empresa que esta cem por cento enquadrada nas NR, nas NBR - Normas Brasileiras, ANVISA, Órgãos Ambientais, junto do Corpo de Bombeiros, da Previdência Social (Receita Previdenciária), das Legislações Estaduais, Municipais, então... Esses profissionais devem ser vistos como auxiliadores nas dissoluções necessárias. 

O empresário muitas vezes é mal informado de seus compromissos legais e, quando menos imagina, é surpreendido pelo mercado e pelas autoridades governamentais, por diversas exigências que eram desconhecidas. Já passou o tempo do empresário ser esclarecido quanto aos seus compromissos com as questões de segurança e medicina do trabalho, porém, sempre me deparo com os que desconhecem o assunto, e pior, a grande maioria do empresariado desconhece principalmente as pequenas e médias empresas.

É necessário saberem que, o profissional prevencionista não está contra os processos produtivos, contra o empresariado, quanto ao mercado, mas sim, ele está a seu favor, afinal, caso não se enquadre nas exigências legais quanto à segurança e medicina do trabalho, correrá o sério risco de retaliações sindicais, mercadológicas, autuações, embargos, interdições, por fim, prejuízos e pior, perder o seu negócio, afinal... Quem quer sair no prejuízo?

Portanto, o empresariado deve ver no prevencionista, oportunidades que vê nos profissionais que cuidam de suas administrações, das questões jurídicas, fiscais, em fim, os prevencionistas não constroem coisas, mas, formam opiniões e orientam tanto o empregador quanto o empregado. É hora de dar um basta aos desvios de valores nesses assuntos, obviamente, a contratação de profissionais maduros, sensatos, idôneos e racionais será fundamental para o sucesso dos entendimentos.

Veja a minha dica: Quando doente, ao consultar um médico, a probabilidade de recuperação só acontecerá, SE VC. SEGUIR AS SUAS ORIENTAÇÕES... Não basta comprar os remédios, têm que tomá-los!
Abços a todos.

CARLOS DIAS
Engenheiro de segurança do trabalho.

22 de maio de 2011

Aprendendo com o Pardal - Para sua reflexão.


Era uma vez um pardal cansado da vida.  Um dia, resolveu sair voando pelo mundo em busca de aventuras. Voou, voou, até chegar a  uma região extremamente fria. E como o frio era intenso suas asas foram ficando congeladas até não poder mais voar e caiu na neve.

Uma vaca, vendo o pobre pardal naquela situação, resolveu ajudá-lo e, para aquecê-lo, defecou-lhe em cima.  O pardal, ao sentir-se aquecido e confortável, começou a cantar.

Um gato ouviu o seu canto, foi  até lá, retirou-o da merda, brincou com ele e o comeu.

MORAL DA HISTÓRIA:

Nem sempre aquele que defeca em cima de você é seu inimigo;

Nem sempre quem tira você da merda e lhe sorri é seu amigo;

Desde que você se sinta quente  e confortável, mesmo que esteja na merda, mantenha  o bico calado.


Será que conseguiremos aprender com essa lição.

21 de maio de 2011

SOLVENTES COMUNS – DDS.


Os solventes são líquidos e tem a propriedade de dissolver substâncias sem alterar sua natureza. A água dissolve o sal. Se você ferver a água até secar, você terá o sal de volta como era antes.

A água é o mais comum dos solventes, mas só funciona com determinados produtos. Se você utilizar a água para dissolver uma graxa, óleo ou gorduras não terá sucesso devido às características químicas destes produtos.

Assim, a água não funciona como solvente para graxas, óleos e gorduras. Temos que recorrer a outros tipos de solventes. O álcool, a nafta e assim por diante são excelentes solventes, porém tem suas desvantagens.

Todos esses solventes são perigosos dependendo da quantidade, local onde são manuseados. Estes solventes são chamados de solventes orgânicos por serem derivados do petróleo, constituído basicamente de cadeias de carbono. Eles se queimam, podem causar explosões e principalmente são muito tóxicos para o organismo.

Todos são úteis e podem ser usados se alguns cuidados de segurança forem tomados. Não é difícil ter este cuidado se você souber os riscos e a forma de controlá-los. Alguns solventes evaporam muito rapidamente, outros mais lentamente. Quanto maior for a área de contato entre o solvente e o ar, maior evaporação será produzida.

Suponha que você deixe uma lata de solvente aberta. Você terá apenas um fluxo de evaporação. Se este mesmo solvente for todo derramado pelo chão a evaporação será maior ainda.

Os solventes evaporam-se mais rapidamente com o ar em circulação do que com o ar parado. Quanto maior for sua temperatura mais rapidamente ele se evaporará. É difícil encontrar uma boa razão para que um solvente seja aquecido. Entretanto se ocorrer aquecimento do solvente haverá riscos de explosões e incêndios, assim sendo, antes de manusear qualquer solvente, primeiro conheça seus riscos, observe a situação a sua volta e planeje a tarefa cuidadosamente.

Lembre-se de que os vapores do solvente atuam e certifique-se de que ele não pode se evaporar a ponto de se tornarem perigosos. Não se esqueça de que eles se espalham muito rapidamente pelo ar e move-se conforme suas correntes, da mesma maneira que acontece com a fumaça do cigarro.

Conheça seu solvente. Não use gasolina como solvente por ser muito volátil e altamente inflamável. Prefira as essências minerais que são os substitutos seguros.

Não manuseie o solvente sem o Equipamento de Proteção Individual adequado.

Fabula da Burrice

Caminhavam dois burros, um com uma carga de açúcar, outro com uma carga de esponjas. 

Dizia o primeiro:

- Caminhemos com cuidado, porque a estrada é perigosa. 

O outro argüiu: 

- Onde está o perigo? Basta andarmos pelo rastro dos que hoje passaram por aqui. 

- Nem sempre é assim. Onde passa um, pode não passar outro. 

- Que burrice! Eu sei viver, gabo - me disso, e minha ciência toda se resume em só imitar o que os outros fazem. 

- Nem sempre é assim, nem sempre é assim... continuou a filosofar o primeiro. 

Nisto alcançaram o rio, cuja ponte caíra na véspera.

- E agora? 

- Agora é passar a vau. 

O burro de açúcar meteu-se na correnteza e, como a carga ia se dissolvendo ao contato da água, conseguiu sem dificuldade pôr pé na margem oposta.

O burro da esponja, fiel às suas idéias, pensou consigo:

- Se ele passou, passarei também - e lançou-se ao rio. 

Mas sua carga, em vez de esvair-se como a do primeiro, cresceu de peso a tal ponto que o pobre tolo foi ao fundo. 

- Bem dizia eu! Não basta querer imitar, é preciso poder imitar - comentou o outro. 




Fábulas Monteiro Lobato - Editora Brasiliense.